10 nov 2013 - 18h54

Furacão goleia na despedida da Vila

Na última partida disputada na Vila Capanema neste Campeonato Brasileiro, o Atlético recebeu o São Paulo diante de mais de 14 mil torcedores, que fizeram a festa nas arquibancadas.

Mesmo enfrentando um adversário em ascensão e que não perdia há dez jogos, o Furacão não quis saber de brincadeira e sobrou em campo, goleando por 3 a 0 ao natural com gols de Marcelo, Luiz Alberto e Éderson.

Com o resultado, o Rubro-Negro se mantém firme na vice-liderança do Brasileirão, com 58 pontos. Além disso, contando com tropeços de Grêmio e Botafogo, abriu quatro de vantagem para o terceiro. Confira como foi a partida:

Atlético sobra em campo no primeiro tempo

Quando a bola rolou, o São Paulo bem que tentou pressionar o Atlético, chegando ao ataque três vezes consecutivas pela esquerda, mas sem conseguir levar perigo à meta de Weverton. Porém o ímpeto do Tricolor não durou muito, pois o Rubro-Negro logo tratou de impor sua marcação e dar a resposta com Everton. Aos cinco minutos, o meia armou o contra-ataque pela direita e fez bela jogada, tocando para Éderson que, livre dentro da área, chutou de primeira por sobre o gol.

Com dificuldades para sair jogando em virtude da boa marcação exercida pelo Furacão, a equipe paulista somente voltou a ameaçar aos 11, quando Douglas limpou o marcador na entrada da área e bateu de esquerda. Weverton não teve dificuldades para fazer a defesa. E um minuto depois, a nação rubro-negra comemorou pela primeira vez. Éderson chegou pela esquerda e cruzou pela esquerda para Marcelo que, com categoria, matou no peito e mandou uma bomba para estufar as redes de Rogério Ceni, abrindo o placar na Vila Capanema. Um golaço do camisa 7, que comemorou muito.

Aos 16, o São Paulo tentou responder com Aloísio, que recebeu passe dentro da área, fez o giro e bateu à esquerda de Weverton. A bola passou rente à trave e assustou a torcida rubro-negra. Mas o Furacão não deu chance para o azar e logo retomou o controle do jogo. Aos 25, Bruno Silva sofreu falta na intermediária e, na cobrança, Paulo Baier mandou nas mãos do goleiro tricolor. Mas aos 26, o maestro acertou o pé na cobrança de um escanteio e mandou a bola na cabeça de Luiz Alberto, que desviou para ampliar a vantagem atleticana.

E mesmo com a boa vantagem, o Rubro-Negro continuava aceso, querendo mais. Aos 27, Marcelo correu pela direita e passou para Éderson, mas a zaga fez o corte. A única chegada perigosa do São Paulo ocorreu aos 37, quando Maicon chutou forte e exigiu boa defesa de Weverton. Aos 40, Éderson recebeu lançamento na esquerda, mas perdeu o tempo da bola e acabou desperdiçando a jogada.

Mesmo com vantagem, Rubro-Negro mantém o ritmo e goleia

A boa vantagem construída no primeiro tempo deu tranquilidade ao Furacão, que mesmo assim voltou do vestiário com bastante disposição, sem querer administrar o resultado. Logo aos cinco minutos, Éderson levantou na área para Marcelo, que escorou de cabeça, mas Rogério Ceni chegou antes de Paulo Baier na bola.

Aos sete, Léo fez boa jogada e cruzou da direita para Everton, que invadiu a área e chutou na rede, pelo lado de fora. O São Paulo tentou responder com Ganso, que aos oito chutou sem perigo à esquerda da meta de Weverton. Mas o Rubro-Negro estava com tudo e queria a goleada. Aos 11, o artilheiro Éderson recebeu de Marcelo e tocou para marcar o terceiro do Atlético e o seu 17º na competição.

Sem tirar o pé, aos 19 o Furacão quase ampliou com Paulo Baier, que recebeu cruzamento de Manoel e cabeceou sozinho, mas não foi dessa vez que o maestro chegou ao 100º gol na era dos pontos corridos, pois a bola foi pela linha e fundo. Aos 36, mais uma chegada perigosa do Atlético. Dellatorre tabelou com Éderson, que chutou forte. Rogério Ceni tirou de qualquer jeito e a bola sobrou para Everton, que acabou errando o gol no arremate.

Sem conseguir reagir, o São Paulo parecia entregue em campo, enquanto o Atlético passou a administrar o placar, sempre tentando ampliar a vantagem. Mas nenhuma outra boa jogada foi criada até o apito final do árbitro, que decretou a goleada atleticana na despedida da Vila Capanema, estádio do qual o Furacão se despediu com 85,71% de aproveitamento no Brasileirão.

As duas últimas partidas do Rubro-Negro como mandante, contra Náutico e Vasco, ocorrerão em Joinville em virtude de uma punição imposta pelo STJD. O próximo compromisso do Atlético é na quarta-feira (13), também em Santa Catarina, no Heriberto Hülse, onde enfrenta o Criciúma.

%ficha=1015%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…