15 nov 2013 - 11h51

Rogério Corrêa: "Busquem as vitórias a qualquer custo"

Zagueiro campeão brasileiro em 2001, Rogério Corrêa conversou com a Furacao.com para mandar a sua mensagem de incentivo à torcida e aos jogadores para a reta final do Campeonato Brasileiro. Amanhã o Rubro-Negro duela com o Botafogo no Maracanã, em confronto direto do G4.

Hoje treinador, Rogério não deixa de acompanhar o Atlético e se surpreendeu com a campanha atual no Brasileirão. "Pra mim é uma surpresa pelo fato de o time ter iniciado mal o campeonato. Não esperava que fosse chegar tão na frente. Mas também, depois que as vitórias começaram a aparecer, o grupo se uniu muito e acredito que isso tenha feito com que fizessem essa bela campanha", disse.

Vindo do Goiânia, o zagueiro chegou em junho de 2001 ao Atlético justamente para a disputa do Campeonato Brasileiro. Com profissionalismo e dedicação, rapidamente assumiu a posição de titular, formando a célebre zaga ao lado de Gustavo e Nem. Depois de ser campeão em 2001, Rogério ainda viveu grandes momentos vestindo a camisa do Furacão e foi o jogador que mais tempo permaneceu no clube. Conquistou o Campeonato Paranaense de 2002 e participou da Libertadores no mesmo ano; foi vice-campeão brasileiro e paranaense em 2004 e foi campeão paranaense em 2005, quando foi transferido para o Shimizu S-Pulse, do Japão. Voltou ao Brasil, jogou pelo Goiás e retornou ao Atlético em 2007. No ano seguinte, Rogério era o único remanescente do time de 2001.

Ainda passou pelo F.C. Illichivets, Bahia, Joinville, Paysandu, Anapolina e o Bairro Alto, pela Suburbana. Sua última experiência foi como auxiliar do J.Malucelli.

Confira abaixo a entrevista exclusiva do ex-jogador ao site Furacao.com:

Você já teve o privilégio de disputar uma Libertadores com a camisa atleticana. O que você indica para os atletas do atual elenco para mais uma vez levarem o Furacão a este patamar?
O grupo tem que ficar focado, unido, buscar as vitórias a qualquer custo sabendo que será muito importante para o clube e torcedores essa vaga da Libertadores.

Em sua opinião, a campanha do Atlético no atual Brasileiro é uma surpresa ou não?
Pra mim é uma surpresa pelo fato de o time ter iniciado mal o campeonato. Não esperava que fosse chegar tão na frente. Mas também, depois que as vitórias começaram a aparecer, o grupo se uniu muito e acredito que isso tenha feito com que fizessem essa bela campanha.

Quais os obstáculos que o time deve se atentar para não colocar em risco a vaga?
Não perder jogos para os times que estão mais perto do Atlético na tabela, não perder os jogos em casa e nos jogos fora somar o maior número de pontos possíveis.

Quais as semelhanças do Atlético de hoje com aquele que você atuava?
Vejo que a semelhança é a união. O time está junto, focado, igual ao das duas vezes em que conseguimos isso, em 2001 e 2004. Note que em 2001 fomos campeões e em 2004 vice. Agora o Atlético está em segundo. As melhores colocações.

Certamente um dos destaques nessas grandes campanhas do time é a torcida. Qual recado você passa ao torcedor atleticano nesta reta final de Brasileiro?
Apoie, incentive, grite, vibre…. esse é o diferencial da torcida atleticana. Os outros times sempre temem jogar aqui, apesar de não ser na Baixada, onde o calor da torcida é impressionante, na Vila Capanema eles estão mandando bem.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…