1 dez 2013 - 22h14

Mancini lamenta: "O jogo esteve nas nossas mãos"

Uma derrota que não estava nos planos do Furacão. A penúltima partida do Atlético no Campeonato Brasileiro terminou com derrota de virada para o Santos, em São José do Rio Preto, e deixou para a última rodada a definição se a equipe irá carimbar a tão sonhada vaga para a Libertadores 2014. Após a partida, o técnico Vagner Mancini lamentou as chances desperdiçadas pelo time, a desatenção e os erros de fundamento, mas comemorou a semana cheia de trabalho para preparar a equipe que enfrenta o Vasco na última rodada.

“Vai ser um jogo lá e cá, aberto, onde as equipes têm objetivos. Mas eu analisando o Atlético, o nosso objetivo tem que ser maior. Embora obviamente a gente respeite o Vasco, mas o nosso objetivo tem que ser alcançado”, disse Mancini.

Acompanha abaixo todos os comentários do treinador:

O JOGO
“Foi um jogo que ficou na nossa mão. O Atlético jogou no segundo tempo no campo do Santos, teve o domínio do jogo, acabou desperdiçando uma chance e de repente na sequência acabamos tomando um gol que até agora não entendi como deixamos o Cícero dominar e fazer o gol. Era um jogo onde um ponto valia muito pra gente e agora dependemos do último jogo”.

EQUILÍBRIO
“Nós tínhamos que tomar uma atitude dentro do jogo. O Atlético duelou, foi um jogo muito equilibrado, o Santos teve bom volume, tivemos algumas oportunidades que deveriam ser melhor aproveitadas, mas agora não adianta ficar falando do que já foi. O mais importante é que temos uma grande semana, contamos com o apoio do torcedor lá domingo, diante do Vasco, para que a gente possa somar esse ponto importante e chegar à vitória para assegurar de vez essa vaga”.

ERROS
“Foi mérito do Santos, a metida de bola do Renato, mais o nosso vacilo defensivo, não sei, dali daonde eu estava é difícil falar alguma coisa, teria que ver para opinar, mas é um lance que normalmente não vemos o Atlético tomar, um gol de bola enfiada por dentro. O primeiro gol já havia sido assim. A bola tinha sido levada de um lado para o outro. Sabíamos da entrada do Cícero no segundo pau, acabou fazendo o primeiro gol, e o segundo num lance de muita bobeira. Achei que o Atlético teve bom volume de jogo, duelou na maior parte do jogo, teve o jogo nas mãos e de forma alguma podia permitir o gol do Santos. Achei que os dois times erraram demais. O campo também, muito desnivelado, choveu muito antes, então a base do campo dificultava, mas isso não é desculpa, temos que nos adaptar. Mas houve muito erro de fundamento. Fica aqui também o registro de dois lances que determinaram a mudança dentro do jogo, a não expulsão do Edu Dracena e o lance do pênalti do Durval. Hoje a gente lamenta a derrota, os erros determinantes no jogo e eu espero que o Atlético possa buscar a vitória contra o Vasco e assegurar a vaga”.

VASCO
“É um jogo dificílimo. Vamos enfrentar uma equipe que do outro lado busca sair de lá debaixo. O Vasco hoje depende de uma vitória para escapar, assim como o Atlético também para conquistarmos a vaga. Vai ser um jogo lá e cá, aberto, onde as equipes têm objetivos. Mas eu analisando o Atlético, o nosso objetivo tem que ser maior. Embora obviamente a gente respeite o Vasco, mas o nosso objetivo tem que ser alcançado”.

SEMANA DE TRABALHO
“Hoje, no momento, estou chateado porque o Atlético perdeu a chance de assegurar pelo menos um ponto. A gente fica irritado por ver o que o time jogou, o jogo esteve nas nossas mãos, mas infelizmente já foi. A gente agora uma semana, descansar bem os atletas que estão desgastados e exaustos pela maratona de 41 jogos em sequência, que a gente descanse, faça os ajustes naturais e dê a eles condições de entrarem em campo no domingo. Eu acredito muito, o Atlético está perto muito perto ainda, agora depende de um bom jogo no domingo e do apoio maciço do nosso torcedor”.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…