21 dez 2013 - 0h30

Obras na Arena avançam e chegam a 88,8%

Na reta final dos preparativos para a Copa do Mundo no Brasil, em junho de 2014, as obras na Arena da Baixada avançam e chegaram ao percentual de 88,8%, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira (20), pelo Atlético. Os números avaliam o estágio da obra até 30 de novembro considerando obra nova, reforma e ampliação, e apresentam uma evolução de 3,27% na comparação com o mês anterior (em outubro, as obras atingiram 85,5%).

Os principais avanços foram na área do gramado, que começou a ganhar os trabalhos do sistema de drenagem e preparação para a inserção das placas de grama, que deve ocorrer em janeiro; a conclusão dos degraus de arquibancada; e a montagem de 4 dos 5 andares do prédio metálico que dará acesso às áreas Vips, técnicas e de imprensa.

Outro avanço significativo foi na cobertura do estádio. As duas vigas principais estão concluídas e em fase de finalização a instalação das vigas secundárias e das peças de policarbonato da cobertura. Também foram concluídos os trabalhos de construção de escadas e de alvenaria em todos os níveis internos e todos os setores do estádio.

O primeiro jogo-teste da Arena deverá ocorrer no dia 26 de fevereiro. A inauguração oficial está prevista para março, na semana de aniversário do clube. No entanto, existe a possibilidade do Atlético só atuar no estádio após a Copa do Mundo.

A Arena da Baixada é uma das 12 sedes da Copa do Mundo de 2014 e receberá quatro jogos no Mundial: Irã x Nigéria, Honduras x Equador, Austrália x Espanha e Argélia x Rússia.

Confira algumas fotos da obra:

Obras no estádio devem terminar em fevereiro [foto: site oficial]


Instalação das cadeiras segue em ritmo acelerado [foto: site oficial]


Cobertura do estádio segue em obras [foto: site oficial]


Prédio metálico vai abrigar áreas vip e de imprensa [foto: site oficial]


Escadas de acessos estão concluídas [foto: site oficial]


Visão geral da obra [foto: site oficial]



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…