2 jan 2014 - 0h03

O ano de 2013 entre aspas

É tempo de relembrar, refletir e avaliar. Recordar dos bons momentos, analisar o que deu errado e fazer planos para o futuro. O ano de 2013 foi surpreendente para os torcedores do Clube Atlético Paranaense. O Furacão ficou em terceiro lugar no Brasileiro e chegou à final da Copa do Brasil. A arrancada no primeiro começou na nona rodada, após a vitória contra a Portuguesa. Já no segundo, o time atleticano despachou equipes como Palmeiras, Internacional e Grêmio até chegar à inédita final contra o Flamengo. Fora de campo, os atleticanos acompanharam a evolução das obras na Arena da Baixada, que se prepara para receber quatro jogos da Copa do Mundo em junho de 2014.

Para complementar a retrospectiva do ano de 2013, a Furacao.com reuniu as melhores frases relacionadas ao Rubro-Negro. Vale a pena conferir e relembrar algumas declarações. Confira:

PROJEÇÕES

“O torcedor pode esperar um Atlético forte e um Atlético que seja capaz de buscar títulos de todas as competições em que participar”.
Antonio Lopes, em 03/01/2013

"O grupo está animado e sabe da importância deste ano em que o Atlético volta à elite do futebol brasileiro. Temos a expectativa de fazer uma grande temporada. Por isso, estamos ansiosos para que (as competições) comecem logo".
Weverton, em 05/01/2013

“Nossa torcida pode esperar neste ano a mesma seriedade que trabalhamos no ano passado, muitas vitorias e tenham a certeza de que vamos buscar sempre estar na frente”.
Cleberson, em 09/01/2013

“A equipe está no caminho certo para a continuação da temporada. Vamos ultrapassar as dificuldades para começar muito bem a Copa do Brasil”.
Ricardo Drubscky, após amistoso com o Cruzeiro, em 19/03/2013

“Eu acho que o Atlético está com um bom time, tem bons jogadores. Seus resultados iniciais são o prenúncio de uma temporada muito boa. Na Copa do Brasil, a equipe tem todas as condições de lutar pelo título. Considerando que temos grandes equipes que vão disputar, acho que essa equipe comandada pelo Ricardo (Drubscky) tem condições de beliscar uma vaga na Libertadores no Brasileiro. Não vou dizer que será campeã, mas posso garantir que tem uma equipe que lutará pelos primeiros lugares”.
Antonio Lopes, prevendo uma boa temporada para o Furacão em entrevista ao portal Lance.net, em 06/05/2013

REFORÇOS

"Acho que temos um elenco de qualidade. Ainda estamos aguardando a vinda de dois ou três jogadores que, com certeza, vão somar. Com mais a garotada que virá desse bom Campeonato Paranaense vamos ter um elenco bastante encorpado”.
Ricardo Drubscky, em 01/04/2013

“A gente tem esse ano como um ano de muitas dificuldades por causa dessa obra magnífica que o clube está fazendo. Estamos em duas frentes muito fortes: o Campeonato Brasileiro e a obra da Arena. Mas estamos muito atentos ao mercado. Estamos trazendo e buscando jogadores, mas o mercado brasileiro não está fácil e o poder econômico cai por causa da questão financeira. Então temos que ser o mais inteligente possível para sermos econômicos e competentes ao mesmo tempo trazendo jogadores baratos, mas bons para formar uma boa equipe”.
Ricardo Drubscky, em entrevista ao Globo Esporte, em 08/05/2013

"Sentimos falta de um camisa nove. É uma deficiência do nosso time e há a necessidade. Estamos tentando buscar alguém, mas o mercado não oferece muita coisa nesse momento”.
Mancini, em 19/08/2013

"A chegada de mais um atacante seria mais para reforçar o setor do que por uma necessidade hoje. O campeonato é muito longo, exige demais. Em determinados momentos a gente precisa de um cara de área. Mas é bom dizer que estou muito satisfeito com os atacantes que temos no elenco hoje".
Mancini, em 05/09/2013

TRANSMISSÃO DOS JOGOS

"O valor oferecido para nós está em torno de R$ 1,3 milhões de reais, em porteira fechada, por todo o campeonato em TV aberta e fechada. Eu sei que não podemos ganhar o mesmo dos clubes cariocas e paulistas, mas só para você ter uma ideia, os clubes grandes do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais ganham em torno de R$ 6 milhões. Nos ofereceram muito pouco".
Mauro Holzmann, em entrevista ao portal Lance.net, em 09/01/2013

SUB-23

“Já está definido que o Atlético irá usar o sub-23 para disputar o início do Campeonato Paranaense para poder dar experiências e ir adaptando o jogador da base dentro do elenco principal".
Antonio Lopes, em 03/01/2013

“Serve para os outros clubes repensarem se vale ter tão pouco tempo de pré-temporada para disputar competições tão deficitárias como os Estaduais. Além disso, já passou da hora de mudança no calendário brasileiro”.
Luiz Greco, diretor de relações internacionais do Atlético, em entrevista ao LANCE!, em 14/01/2013

"A gente teve pouco tempo para preparar. Algumas mudanças acontecem, e talvez a gente possa fazer um futebol um pouquinho melhor. O segundo jogo sempre melhora um pouco porque tira um pouco da acidose, aquela musculatura muito contraída com os treinamentos, então acho que a gente já deve se apresentar um pouquinho melhor”.
Arthur Bernardes, em 23/01/2013

“Não podemos pensando que a equipe é só de garotos. Estamos pensando grande. Aos poucos vamos amadurecer o time. É uma transição, mas o resultado também é importante, porque a torcida que ver a equipe ganhar. Projetamos o título e vamos entrar em campo sempre como time grande".
Arthur Bernardes, em 25/01/2013

"Deu para notar uma evolução de um jogo para o outro. Vamos continuar crescendo, para chegar longe, porque almejamos coisas maiores na competição".
Renan Foguinho, em 25/01/2013

“Não parece, mas é complicado você ficar de quatro a cinco meses sem jogar. O ritmo de jogo pesa, o nosso tempo de trabalho é muito curto, mas isso não pode ser considerado como desculpa”.
Arthur Bernardes, após a derrota para o Paraná, em 27/01/2013

"Não estamos satisfeitos e por isso lutaremos muito, porque precisamos da vitória neste jogo".
Erwin, sobre o início ruim no Estadual, antes do jogo contra o Toledo, em 30/01/2013

“Quando o resultado não acontece, a gente sabe que é uma pressão muito forte, a gente fica triste, chateado, mas é garoto, a gente está trabalhando os meninos, os meninos estão melhorando muito. Não é fácil pra eles assumir uma responsabilidade de um Paranaense, mas não é desculpa. Gostaria que o torcedor compreendesse que a gente está tentando fazer o nosso melhor, os garotos estão melhorando, a capacidade deles é muito boa. Então a gente tem que ter um pouco de paciência porque, eu sei que o futebol, principalmente no Brasil, ninguém tem paciência com nada".
Arthur Bernardes, em 31/01/2013

"Peço a confiança dos torcedores, porque estamos trabalhando forte para conseguir as vitórias”.
Arthur Bernardes, após a vitória sobre o Cianorte, em 02/02/2013

“A gente não joga com o título de Sub-23. Vestiu essa camisa e está disputando um campeonato válido pelo profissional, é um time profissional. Acho que o grupo já assimilou isso".
Bruno Costa, em 06/02/2013

"Agora temos de trabalhar forte, não podemos desistir. Não estamos com sorte, então temos de trabalhar até o último minuto. Não podemos ficar nesta posição, porque somos time grande".
Pablo, após o empate com o Arapongas, em 13/02/2013

"A torcida cobra com direito. Temos que focar dentro de campo e dar o máximo, para a torcida sair feliz".
Renato, após a vitória sobre o J.Malucelli, em 16/02/2013

“Atletiba é sempre decisão, um clássico que ninguém gosta de perder. É um jogo bastante emocional, que mexe com os jogadores, com o torcedor. Isso faz diferença dentro de campo também”.
Bruno Costa, antes do clássico, em 23/02/2013

"A gente vem trabalhando, vem se dedicando, e hoje graças a Deus as coisas começaram a acontecer e agora é melhorar no segundo turno e ir em busca do título".
Junior Barros, após o encerramento do 1º turno, em 02/03/2013

“Na realidade a gente está crescendo, mesmo sabendo que o time não está jogando o futebol que a gente quer. A gente não pode vestir uma camisa desta aqui e errar passes curtos, por exemplo, porque nos treinamentos a gente não era e no jogo também não pode errar”.
Arthur Bernardes, após a vitória sobre o Nacional, em 14/03/2013

“Temos que ter humildade e tranquilidade para não cometer erros daqui para frente e terminar o campeonato como campeão”.
Arthur Bernardes, depois do empate com o Paraná, em 17/03/2013

"O torcedor nos apoiou durante todo o jogo e temos que agradecer muito essa ajuda".
Arthur Bernardes, após vencer o Toledo, em 21/03/2013

“O campeonato não tem nada resolvido ainda, temos ainda quatro jogos, três deles em casa e podemos sim chegar na final”.
Santos, depois do empate com o Londrina, em 30/03/2013

"O projeto do Sub-23 é o chamariz para o principal na questão técnica. Então, está atingindo um objetivo. Talvez, pudesse ser até melhor, mas já atingiu um objetivo muito bom. Um número expressivo de bons jogadores estão se destacando e, que, sem dúvida nenhuma vão servir a equipe principal”.
Ricardo Drubscky, em 01/04/2013

“Não há a meta de os meninos serem campeões, como ocorre todos os anos com o time principal. Os meninos têm grande potencial, mas o campeonato está nivelado por baixo”.
Petraglia, em entrevista ao portal Lance.net, em 15/04/2013

“Fizemos um balanço do Campeonato Estadual. Nós estávamos pagando para jogar, sofrendo na parte técnica e na arbitragem. Apenas dois clubes têm história, o resto é só clube de formação de empresários, de aluguel. A gente viu esta abertura para dar aos jovens talentos um teste em uma competição com pressão da torcida, imprensa e mídia”.
Petraglia, em entrevista ao portal Lance.net, em 15/04/2013

“Posso garantir que o Atlético, em minha gestão, não jogará o Paranaense com o time principal se o modelo continuar como está”.
Petraglia, em entrevista ao portal Lance.net, em 15/04/2013

"A felicidade é muito grande porque a gente se uniu. Jogamos o primeiro turno muito abaixo da nossa qualidade e hoje a torcida gritou ‘Sub-23’. Todos estavam pedindo a equipe principal no primeiro turno, mas nos fechamos, cada um sabendo da sua responsabilidade e qualidade. O presidente também abraçou a ideia, continuou com a postura de nos deixar jogando, assim como o professor. O time abraçou isso e deu no que deu".
Zezinho, após a vitória no Atletiba, em 21/04/2013

“Já passei por alguns clubes mas como o Atlético, com a torcida apoiando e nos abraçando, não tem igual. Pretendo continuar aqui por muitos anos e dar o que a torcida merece. Todos hoje estão de parabéns. É isso que faz o Atlético forte”.
Zezinho, na mesma entrevista

"Algumas pessoas brincaram que se eu quisesse ser conhecido tinha que fazer um gol em Atletiba. Deus me abençoou".
Crislan comemora gol no Atletiba, em 21/04/2013

"Nunca deixamos de acreditar no nosso trabalho e vínhamos trabalhando para isso. Jogo em cima de jogo, sempre buscando a vitória para dar alegria para essa torcida".
Edigar Junio comenta o clássico, em 22/04/2013

“Tem que descobrir uma maneira de recuperar, de botar o garoto para jogar. No Brasil a gente tem mania de queimar atleta com muita facilidade porque tem muita fartura. Aprendi a ter paciência, é uma virtude que aprendi".
Arthur Bernardes, sobre Harrison, em 24/03/2013

"Já fui campeão nas categorias de base e estava no grupo campeão em 2009. Mas agora é diferente, erguer a taça é diferente. É uma sensação muito boa, de dever cumprido".
Renan Foguinho, após levantar a taça de campeão do segundo turno, em 28/04/2013

“O título foi merecido porque nós fizemos um trabalho muito bem feito com jovens que a gente já cansava de mencionar sobre a idade dos garotos. (…) Nosso time não é time pra glamour. Tem que correr muito para corresponder às expectativas que o torcedor espera de nós. Nosso time não tem cracaço (sic), de milhões de dólares, mas jovens que têm pretensões maiores e que eles durante a semana vão ter que trabalhar muito duro para chegar aonde precisamos chegar”.
Arthur Bernardes, depois da derrota para o Operário, que encerrou a invencibilidade atleticana de 11 jogos, em 28/04/2013

“Os garotos estão focados, com uma vontade imensa de jogar. Quem não está no banco, no grupo, também está focado. Todos estamos muito unidos. Esse é o grande lance, é a força da juventude com a força da torcida maravilhosa que temos”.
Arthur Bernardes, antes da primeira final com o Coritiba, em 03/05/2013

“Acho que o nosso meio e nosso ataque tiveram uma atuação brilhante, temos que ter paciência com os meninos, mas hoje eles jogaram demais".
Arthur Bernardes, depois do empate na primeira final com o Coritiba, em 05/05/2013

“Queremos revelar jogadores, e fazer a transição à equipe principal. É este projeto que deu certo, e vamos prosseguir durante o transcorrer da temporada os mesmos objetivos”.
Antonio Lopes, em entrevista ao portal Lance.net, em 06/05/2013

"A torcida merece o título, pois o apoio que vem das arquibancadas é algo que está sendo fundamental em nossa caminhada. É o nosso 12º jogador".
Douglas Coutinho, em 06/05/2013

“O Atlético tem que ter brio, garra, humildade, respeito ao adversário, mas respeito sem medo. Tem que ser um grupo de personalidade, que sabe o que quer”.
Arthur Bernardes, antes da decisão com o Coritiba, em 11/05/2013

“Estamos de parabéns pelo o que fizemos hoje e principalmente durante todo o campeonato. Representamos bem o clube e honramos essa camisa”.
Santos, após a perda do título, em 12/05/2013

"Claro que tínhamos em mente o título do Paranaense, mas não deu. O importante foi o que apresentamos durante todo o campeonato, todo o nosso trabalho”.
Hernani faz balanço da atuação do Sub-23, em 12/05/2013

“Esse grupo é impar no meu conceito. São jovens com um talento grande. É um prazer trabalhar com eles. São jogadores com uma qualidade excelente e melhores ainda como pessoas”
Arthur Bernardes elogia o grupo, em 12/05/2013

"Vocês verão na frente, na reta final, depois da metade do segundo turno, quando a exaustão chegar de forma física ou psicológica dos jogadores, porque jogar 70 jogos no ano um grupo é desumano. Então veremos o resultado. Já tivemos no primeiro semestre, revelamos os meninos que o Brasil inteiro aplaudiu. E agora veremos o time principal nesse segundo semestre".
Petraglia, em 27/07/2013

“Tivemos uma pressão inicial da torcida, que não entendeu, não começamos bem com os meninos, mas a coisa engrenou, vencemos o segundo turno, fomos vice-campeões, ganhamos clássico, formamos muitos meninos, viajamos para a Europa, fortalecemos nossa marca e treinamos o time principal”.
Petraglia, em entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

"Temos o Sub-23, que jogará o Campeonato Paranaense. Teremos a pré-temporada mais longa novamente. Não sabemos ainda se a CBF permitirá excursões dos times principais, como fizemos este ano. Ou seja, ainda não podemos responder objetivamente, de forma definitiva como serão os primeiros meses dos nossos times em 2014".
Petraglia, em 11/11/2013

RICARDINHO
"Estamos buscando novos ares. Vou procurar um ambiente que dê mais valor para a gente e espero que dê certo. Joguei em todos os lugares e só tive problema aqui no Atlético".
Atacante em momento desabafo, em 24/02/2013

JOGOS NA VILA CAPANEMA
“Foi uma boa iniciativa da nossa diretoria que será muito importante para nós. Jogar em casa, próximo à nossa torcida, vai ser fundamental. Nosso torcedor é um ponto favorável, pois é um aliado importante que pode nos ajudar muito. Nós, comissão técnica e jogadores, estamos muito felizes com isso".
Ricardo Drubscky, em 29/04/2013

“Vai custar mais do que gostaríamos e menos que o Paraná gostaria. O valor é segredo de Estado. Há um compromisso de não divulgação. Nossos contratos todos têm cláusulas, amanhã posso ser processado".
Mario Celso Petraglia, em entrevista no programa Paraná no Ar, da RIC TV, em 10/05/2013

ARENA DA BAIXADA
"Temos certeza de que no final do ano, novembro, mais tardar dezembro, estaremos inaugurando a nossa Arena da Baixada, a nova Arena da Baixada, a única que será totalmente coberta e com a tampa do Caldeirão que nós prometemos durante a nossa campanha".
Mario Celso Petraglia, em 01/02/2013

“Antes já tínhamos uma influência grande da torcida. Conheço a força deles e com a arquibancada mais perto, será ainda mais pressão. Em casa será difícil sairmos derrotados”.
Manoel, em visita às obras da Arena, em 11/04/2013

“Estamos otimistas quanto à reforma da Arena, que tornará o Atlético uma das maiores potências do futebol mundial”.
Antonio Lopes, em entrevista ao portal Lance.net, em 06/05/2013

"Lamentavelmente havíamos prometido que seria este ano, mas tivemos vários problemas”.
Mario Celso Petraglia, em entrevista no programa Paraná no Ar, da RIC TV, em 10/05/2013

“Os adversários e quem não se associar vai pagar caro, até 500 reais o ingresso. Ainda não está definido, mas os locais mais caros, camarotes, vips, essas coisas".
Mario Celso Petraglia, em entrevista no programa Paraná no Ar, da RIC TV, em 10/05/2013

"Temos a programação de um jogo teste em janeiro, que habitualmente se faz para os funcionários da obra e familiares. Será um amistoso à noite para testar refletores, catracas, sistema de água, energia, essas coisas. Consequentemente, estaremos praticamente prontos. Em seguida faremos outro jogo. Quanto mais testes tiverem mais a FIFA agradece”.
Mario Celso Petraglia, em 26/07/2013

"Teremos teto retrátil pronto na Copa. Isso é um compromisso nosso que vamos cumprir”.
Mario Celso Petraglia, em 26/07/2013

"O que encareceu a obra, em torno de R$ 30 mi, foi o retardamento em torno de um ano no cronograma, porque o dinheiro não foi liberado, porque atrasou as desapropriações, o prédio do Exército só foi liberado há algumas semanas, então todo o custo operacional da obra incidiu”.
Mario Celso Petraglia, em 26/07/2013

“Mesmo jogando fora da Arena não cairemos".
Mario Celso Petraglia, em 27/07/2013

“Nós não temos renda de jogos, temos um número muito pequeno de sócios, as publicidades e patrocínios do ano passado foram de segunda divisão. Ou seja, as rendas para o futebol são muito pequenas, tanto ano passado quanto este ano".
Mario Celso Petraglia, em 27/07/2013

“Reconhecemos e deixamos para que o teto retrátil seja instalado após a Copa do Mundo. Mas o Atlético não desistirá, já que é um projeto nosso".
Mario Celso Petraglia, em 19/08/2013

"Temos todo o conteúdo do estádio livre a começar com o nome do complexo à disposição e no mercado para vendermos. Independente das dificuldades que temos da burocracia nacional, nem sempre acontecem e na velocidade que gostaríamos. Já estamos encaminhando o novo orçamento ao BNDES e estivemos com a diretoria do banco e que está complementando o financiamento. Esse complemento (35 milhões) será exclusivamente de responsabilidade do Atlético Paranaense".
Mario Celso Petraglia, explicando valor excedente da obra, em 19/08/2013

"Infelizmente o mirante que nós tanto aproveitamos na primeira construção lá em 1998 e 1999 da primeira fase da nossa Arena da Baixada, desta vez em função de ser uma reforma e houve muita demolição, então não foi possível”.
Mario Celso Petraglia, em 02/09/2013

“Nós tivemos pelo atraso de um ano na nossa construção, tivemos inflação, o orçamento é de novembro de 2010, estamos entregando o estádio em janeiro de 2014. São três anos de correção do Índice da Construção Civil, que dá 30%. O nosso orçamento, mesmo com um ano de atraso, aumento 18%. Tivemos atrapalho, dificuldades, mas o nosso modelo é diferente das 11 demais capitais. Os empreiteiros tomaram conta do futebol brasileiro, operarão por 30, 35 anos cobrando ingresso caro”.
Mario Celso Petraglia, em entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Impossível que inauguremos na Libertadores, nós temos já uma programação feita com a FIFA na qual devemos ter jogos testes antecipadamente, queremos trazer a seleção brasileira e queremos fazer uma grande festa de inauguração”.
Mario Celso Petraglia, em 05/11/2013

“Estamos com sérias dificuldades para cumprimento do nosso cronograma. Nós temos tido dificuldades desde o ano passado. Vamos para muito mais tempo do que o esperado, para aprovação do financiamento e as consequentes liberações também têm se espaçado muito”.
Mario Celso Petraglia, em 14/11/2013

"Só jogaremos na Arena depois da Copa do Mundo. Assinamos na semana passada o último contrato de conclusão da obra".
Antonio Carlos Bettega, em 16/12/2013

MARBELLA CUP

“Estou feliz com a postura da equipe. Jogamos de igual para igual com uma equipe top no futebol europeu, que tem um grande investimento. Os ucranianos estão investindo muito no mercado e por estes motivos, estamos contentes. Foi um grande adversário e uma grande vitória do Atlético Paranaense”.
Ricardo Drubscky, após vencer o Dínamo de Kiev, em 07/02/2013

"Estamos preparados para a final. Vamos voltar para o Brasil com o título e depois continuar bem a nossa preparação".
Cleberson, em 07/02/2013

COPA DO BRASIL

"Quarta-feira, temos uma competição importante. Não podemos errar. Estamos prontos para jogar com a cabeça, com inteligência e malandragem. Tem que buscar o resultado positivo. Temos que ser malandros porque, na Copa do Brasil, não podemos vacilar".
Marcão, antes da estreia contra o Brasil de Pelotas, em 29/03/2013

“Estou satisfeito pela apresentação da equipe para o momento e pela vitória fora de casa. Nossa equipe mereceu vencer. Não jogamos de modo perfeito, mas fomos a equipe que deveria vencer. Fizemos um gol e isso é muito importante nessa competição”.
Ricardo Drubscky avalia vitória sobre o Brasil de Pelotas, em 03/04/2013

"A torcida pode esperar a mesma raça que mostrou no ano passado e que é característica do Furacão. O Atlético tem por característica mostrar esse espírito competitivo, então os jogadores vão mostrar isso com certeza. Esse é um grupo que cai bem com a camisa do Atlético".
Ricardo Drubscky, antes do jogo de volta contra o Brasil de Pelotas, em 17/04/2013

"O Paulo Baier sempre é determinante. Nestes 28, 30 jogos oficiais que já dirigi o Atlético, Paulo participou de 70% ou 60% deles. E nesse número foi determinante em quase todos”.
Ricardo Drubscky, em 17/04/2013

"É um cara que todos querem no time. Ajuda muito, passa muita experiência pra gente ali atrás. Ele entra ele decide. Se sobra ele faz o gol, é um ótimo jogador".
Cleberson elogia o maestro, em 17/04/2013

"É um time aguerrido, um grupo jovem e talentoso, que tem um excelente treinador, que gosta de jogadores que atuem em outros setores”.
Ciro, em 02/05/2013

"Foi realmente uma vitória maiúscula, uma vitória boa e incontestável. Quando a equipe está muito redonda, as coisas conspiram a favor. Jogamos com sobriedade, com superioridade e fizemos por onde”.
Ricardo Drubscky, após eliminar o América-RN, em 09/05/2013

“Estamos resgatando algumas coisas de um elenco que sofreu muito no Brasileiro e espero que essa vitória possa ser uma alavanca para novas conquistas".
Mancini, depois de vencer o Paysandu, em 24/07/2013

“Hoje não foi o nosso dia de fazer gol, mas tenho certeza que vamos sair com a classificação no nosso campo”.
Éderson lamenta derrota para o Palmeiras no Pacaembu, em 21/08/2013

“O Manoel está merecendo uma convocação. Ele está um monstro”.
Paulo Baier, após o Furacão eliminar o Palmeiras, em 29/08/2013

"O Atlético foi superior nos 180 minutos. Temos que enaltecer a luta dos atletas. Foram guerreiros em campo”.
Mancini, comemorando a classificação para as quartas de final, após eliminar o Palmeiras, em 29/08/2013

"Mudou digamos da formiga para o elefante. Eu peguei o Atlético em penúltimo lugar. Pegar um clube brigando contra o rebaixamento, com um milhão de coisas para corrigir e sem tempo para trabalhar, é difícil. Acho que fiz um bom trabalho no Atlético. É só olhar os números”,
Renato Gaúcho, antes do duelo na Copa do Brasil, em 29/10/2013

“Nós estamos satisfeitos não só por ter vencido, mas também pelo desempenho da equipe. A equipe acabou mandando no jogo os 90 minutos e foi merecedora da vitória”.
Mancini, após vencer a partida de ida contra o Grêmio, em 31/10/2013

“Fui feliz e pude ajudar a equipe a sair com a vitória e dar um grande passo para a nossa caminhada”.
Dellatorre, autor do gol da vitória diante do Grêmio, em 31/10/2013

“O jogo de quarta é uma final de campeonato para a gente. O atleta vive dessa emoção, de disputar alguma coisa, de ter sua torcida motivada e jogando junto com o time”.
Mancini, antes de encarar o Grêmio na decisiva semifinal, em 05/11/2013

“O Atlético fez por merecer, foi com muita garra, não brilhante, mas merecemos. A entrega, os jogadores honram a camisa que vestem e isso me deixa satisfeito”.
Mancini, após a classificação para a final, em 07/11/2013

“A gente era desacreditado, escutamos muita besteira de que seriamos goleados, não tinha capacidade e mostramos que a gente merecia. Que venha o título, vamos trabalhar para isso”.
Zezinho comemora chegada à final, em 07/11/2013

“Somos finalistas na Copa do Brasil e vice do Brasileiro. O Brasil tem que respeitar o Atlético”.
Luiz Alberto desabafa, em 07/11/2013

“Se tem gente achando que o Atlético vai jogar a toalha nós vamos ao Maracanã mostrar que não”.
Mancini, após empatar a primeira com o Flamengo, em 21/11/2013

“Chegou a nossa hora de fazer história no clube. Vamos jogar com alma, com superação e esperamos ser felizes para sair de lá com o título”
Weverton, antes da final, em 25/11/2013

“Nossa equipe está de parabéns. Saímos de cabeça erguida do Maracanã. A torcida tem que confiar nesse grupo que levou o clube longe na competição”.
Éderson, após a perda do título, em 28/11/2013

“O Atlético não jogou, não chegou nem perto de ser aquela equipe que saiu de uma situação incômoda no Campeonato Brasileiro, que chegou à final da Copa do Brasil, que foi eliminando adversários fortes. Não vimos o Atlético jogando com velocidade, sendo aquela equipe que finaliza bastante. O ritmo do jogo foi ditado pelo Flamengo”.
Mancini lamenta derrota na final, em 28/11/2013

PAULO BAIER E O 100º GOL

“O objetivo é chegar ao centésimo gol. Mas os gols sairão ao natural, assim como foram todos os gols que fiz neste período. O importante é que estou feliz e satisfeito no clube e na carreira”.
Maestro, antes da estreia atleticana no Brasileiro, em 25/05/2013

“Fico feliz [pela homenagem da torcida], todo mundo sabe a minha dedicação, procuro fazer o meu melhor. Vamos pensar jogo a jogo, talvez chegue ao centésimo [gol] ainda este ano”,
Meia comenta sobre o gol marcado diante do Bahia, em 07/08/2013

“Estou com uma expectativa boa. De repente neste jogo a gente pode completar o centésimo. Mas se não vier está tranquilo. O importante é que a equipe está bem, muito focada”.
Baier, antes de enfrentar o Internacional, em 03/11/2013

“É uma questão de respeito pelo clube que praticamente comecei, o carinho pela cidade e pela torcida. Queria a vitoria pelo Atlético, mas infelizmente não aconteceu, mas consegui fazer um belo gol. Isso é bacana no futebol, ter o respeito do torcedor. Estou feliz pelo gol, mas triste por não ter feito o segundo gol para a gente empatar”.
Paulo Baier, após 100º gol, marcado diante do Criciúma, em 13/11/2013

"O momento que estou sentido, não é fácil com tanta gente boa no nosso país e você fazer o centésimo gol é motivo de orgulho e satisfação. Tive a felicidade de fazer o centésimo, um dos mais bonitos da minha carreira. Principalmente aos clubes que passei, o centésimo gol é de outros clubes também, e logicamente mais especial pelo Furacão. Muitas pessoas participaram disso, e estão juntas nesse momento importante para mim”.
Jogador comemora feito na carreira, em 14/11/2013

BRASILEIRÃO

"A gente precisa melhorar bastante. No segundo tempo criamos bastante, demos sufoco, mas não fomos competentes para fazer os gols. Eles foram”.
Paulo Baier, após a derrota na estreia para o Fluminense, em 26/05/2013

“Fica o gosto muito amargo da derrota, ficamos muito chateados, mas também fica a expectativa de que foi a primeira partida de muitos jogadores na primeira divisão. Temos muito o que melhorar”.
Ricardo Drubscky analisa estreia no Brasileiro, em 26/05/2013

“O Atlético é uma equipe madura, tem jogadores que se conhecem, que fazem a tabela bem, que vão de encontro à bola. Eles treinaram muito para esse Brasileiro e vão fazer um grande campeonato. Podem anotar isso".
Abel Braga, então técnico do Fluminense, em 26/05/2013

"Quando sairmos na frente, temos que saber segurar esse resultado. E também, se sairmos atrás no placar, precisamos ter a tranquilidade para buscar o empate e a vitória”.
Felipe, comentando os empates com Cruzeiro e Flamengo após a equipe abrir 2 a 0, em 02/06/2013

“É o terceiro jogo que o Atlético faz por merecer vencer e não consegue. Não é desesperador. Não é para começar encontrar problemas onde não existem”.
Ricardo Drubscky, após a frustração de dois empates seguidos como mandante, em 04/06/2013

“Com os jogadores que temos na defesa, levar gol em toda partida não é uma coisa normal”.
Luiz Alberto, em 09/06/2013

"Estamos buscando um treinador top, competente. O Atlético é time grande e tem que pensar alto. Temos problemas financeiros, o clube tem que ver também a pedida salarial do profissional, mas estamos tentando um treinador experiente, um bom treinador, de Série A, que possa fazer um grande papel no Atlético”.
Antonio Lopes, após a demissão de Drubscky, em 08/07/2013

“O Atlético foi um salto na minha carreira e uma grande oportunidade dentro do futebol, onde pude evoluir muito profissionalmente. Concluo essa etapa satisfeito por ter permanecido um tempo considerável à frente do cargo de técnico”
Ricardo Drubscky, em comunicado após demissão, em 08/07/2013

"Pretendo jogar mais um ano, espero que com a camisa do Atlético. E aí sim, na nova Arena, projetar uma grande festa com a torcida do Furacão para encerrar a carreira".
Paulo Baier, ao Lance!, em 09/07/2013

“O Marcão é um cara que eu gosto muito no grupo. Acontece. Temos que dar muita força para ele agora”.
Weverton defende Marcão, que perdeu chance incrível aos 44 minutos do segundo tempo contra o Coritiba, em 14/07/2013

"A saída da zona não vai ser num estalo. Há necessidade de mudar a forma de jogar".
Mancini, após o empate com o Corinthians, em 21/07/2013

“O Atlético jogou com muita raça, que é a cara do Atlético, a torcida pede, canta raça e hoje foi demonstrado na segunda etapa justamente isso”.
Mancini comemora vitória de virada contra a Portuguesa, em 27/07/2013

"A bola começou a entrar e nosso time começou a jogar cada jogo como se fosse o último. Hoje sabíamos que o jogo era muito difícil e nosso time veio lutando devagarzinho, de mansinho, para buscar a vitória".
Éderson, autor do gol da vitória, de virada, sobre o Galo, em 31/07/2013

“Se tem um consolo, desse tamanhinho, para eu ter é que o meu time ganhou de mim. Então, parabéns para o Atlético Paranaense, valeu!”.
Cuca, técnico do Galo, em 31/07/2013

“Estamos unidos até o final, jogo a jogo, ponto a ponto vamos conseguir nossos objetivos”.
Weverton, após a primeira vitória do Atlético em casa, contra o Goiás, em 04/08/2013

“A gente tem potencial e elenco qualificado para brigar pelo G4. Vamos tentar”.
Zezinho, quando a equipe estava na 8ª colocação, em 05/08/2013

“É muito bom viver numa fase dessas, há oito dias estávamos na zona de rebaixamento e hoje estamos em sétimo no campeonato”.
Vagner Mancini, em 06/08/2013

“Teve a mudança do treinador, que chegou, fez cinco jogos e até agora não perdeu. Ele (Mancini) mudou a cara do time. E está todo mundo de parabéns, o time está com outra postura”.
Weverton destaca a arrancada atleticana, em 07/08/2013

“A equipe está bem, jogando com alegria, também nos treinamentos, está bonito de ver. Estamos no caminho certo. Se mantivermos nesse ritmo teremos muito mais a conquistar. Temos muito a crescer ainda, é só o começo”,
Manoel, em 07/08/2013

“Dentro de campo a gente entra pra fazer nosso papel e dar nosso melhor. Pode ter certeza que vamos entrar (no G4) e não sair mais”.
João Paulo, após o empate com o Internacional, em 11/08/2013

"Existirão jogos que vamos ganhar na superação e na raça. Nossa equipe é forte, buscou o resultado e conseguimos a virada".
Zezinho, depois de vencer o Criciúma, em 18/08/2013

“Não foi fácil chegar até aqui e a gente pensa em ficar. É cedo nesse sentido [pensar em Libertadores], mas temos que sonhar, o sonho faz parte daquele que chegar lá na frente, não se sente acomodado e empurra o objetivo lá em cima. Hoje tem de sobra a ganância por vencer. Você não pode mesmo fora de casa perder a ganância pela vitória, desde que você seja solidário e responsável em campo”.
Mancini, após a entrada no G4, em 25/08/2013

“Independente se vai me colocar para jogar ou não, vou ajudar o Atlético seja em 15, 45 ou 90 minutos”.
Éderson, ainda sem ser titular na equipe, em 26/08/2013

“Hoje o Atlético é um time a ser batido. Antes a gente estava em recuperação, agora somos uma equipe a ser batida, e todo mundo quer medir forças hoje diante do Atlético”.
Mancini, em 03/09/2013

“Futebol é sério, não podemos ir na empolgação da torcida. Mas o time está de parabéns pela vitória. O resultado [2 a 0] era perigoso e eles quase empataram. Futebol é sério, 2 a 0 é bola para o mato em busca de três pontos".
Paulo Baier, após vitória contra o Santos, em 04/09/2013

"Desde o ano passado construímos uma família no Atlético e quem chegou se adaptou muito bem. Todo mundo está se ajudando e por isso a equipe está crescendo mais".
João Paulo, em 07/09/2013

“Eles tiveram quatro meses de pré-temporada, excursionaram e não disputaram o Paranaense. Eles jogam domingo e quarta também, mas estão cheios de pernas porque se prepararam”.
Vanderlei Luxemburgo, antes de enfrentar o Atlético no returno, em 09/09/2013

"O Atlético vive um momento fantástico porque houve um encaixe muito grande, uma entrega enorme. Fui muito bem aceito e isso é fundamental em todos os níveis. Nós sabemos como é difícil ter que reverter uma situação, sair do 19º ao G4 num espaço curto de tempo. E isto só é possível quando não só os atletas e comissão técnica, mas todos que fazem o dia a dia do clube, dão as mãos e entendem esse momento, que está sendo único na história do clube. Hoje vemos o Atlético voltando a ter com o torcedor uma relação maravilhosa, o vento começa soprar a favor, a bola começa a acertar o alvo e as coisas começam a dar certo devido a toda essa energia".
Mancini, no “Bem Amigos”, em 10/09/2013

“Um vem correndo pelo outro e isso é fundamental na nossa boa campanha".
Bruno Silva, em 11/09/2013

“A gente fica chateado de perder, mas foi diante de uma equipe que está liderando o campeonato, e o Atlético não se intimidou”.
Mancini, após a derrota para o Cruzeiro e a perda da invencibilidade atleticana de 13 jogos, em 14/09/2013

“Eles vão tomar um puxão de orelha, esse tipo de jogo pode atrapalhar uma campanha”.
Mancini, após a vitória sobre o Flamengo, quando o Atlético saiu perdendo por 2 a 0, em 19/09/2013

“Hoje não era para jogar bonito, era jogar para vencer”.
Zezinho, após derrotar a Ponte Preta por 1 a 0, em 23/09/2013

“Estamos no nosso objetivo ponto a ponto, jogo a jogo. A cada vitória a gente se fortalece, adquire mais confiança e experiência”.
Weverton comemora vitória sobre a Macaca, em 23/09/2013

“Nunca vi o Atlético se enervar tanto”.
Mancini, após a derrota para o Grêmio, em 02/10/2013

“Era muito importante que o Atlético voltasse a vencer, não só porque enfrentava o seu maior rival, mas porque também vinha de duas derrotas e era necessário que o grupo de jogadores desse a resposta que deu em campo”.
Mancini comemora vitória no Atletiba, em 06/10/2013

“Temos a consciência que não vencemos um adversário qualquer. É um time que venceu a Libertadores e está muito bem armado, o que valoriza demais a nossa vitória. O nosso Atlético fez seis pontos sobre o atual campeão da Libertadores".
Mancini, após vitória sobre o Galo na Vila Capanema, em 17/10/2013

“Estamos muito bem no campeonato, todo mundo está se ajudando, se doando. Se estivesse assim desde o começo, com certeza estaríamos brigando com o Cruzeiro, mas eles estão muito longe, temos que pensar no G4, pois estamos mais perto do nosso objetivo”.
Manoel, em 04/11/2013

“Difícil, este não foi o Atlético que conhecemos. Agora temos que acender a luz, pois temos jogos importantes pela frente”.
Luiz Alberto, após a goleada para o Botafogo, em 16/11/2013

COM A PALAVRA, MARIO CELSO PETRAGLIA

“Eu falo há anos que estaduais são um engodo sustentado pelas federações e por um pseudointeresse dos pequenos”
Entrevista ao portal Lance.net, em 15/04/2013

“O futebol no Paraná é de terceira linha. É uma realidade, mas estamos trabalhando para fugirmos disso. (…) Em mais um ano e meio, no máximo dois, que estaremos entre os maiores clubes das Américas".
Entrevista no programa Paraná no Ar, da RIC TV, em 10/05/2013

“Foi um projeto idealizado de uma forma já amadurecida pela nossa experiência, de quebrar paradigmas, mudar, protestar e também dar oportunidade para esses meninos que joguem valendo os três pontos, o valor real de uma partida, com torcida contrária e nossa”.
Sobre o Sub-23, em entrevista no programa Paraná no Ar, da RIC TV, em 10/05/2013

"Tivemos cinco ofertas para cinco diferentes jogadores que nos ajudaram a voltar para a primeira divisão. Caso do Manoel, do Cleberson, do Pedro, do Deivid, do Marcelo. Já temos tido ofertas constantemente. O Atlético Paranaense resolveu sacrificar o seu caixa e mantivemos esses jogadores, na esperança que os associados nos compensassem”.
Em entrevista à rádio CAP, em 10/06/2013

"Estamos um pouco apreensivos. Se o ritmo for esse como que nós vamos dar conta de todos os nossos compromissos?"
Presidente lamenta baixa adesão ao plano de sócios, em 10/06/2013

"Nós estamos extremamente satisfeitos com o Ricardo Drubscky. Está fazendo um trabalho excepcional. Nos ajudou no ano passado a subirmos, nós acreditamos nele. Nunca houve esse comentário. Ele é uma pessoa do bem, ele tem vergonha na cara. De todos nós, é o que mais sofre quando a vitória não vem, porque é ele o responsável direto pelos resultados".
Desmentindo a demissão de Ricardo Drubscky, em 10/06/2013

“Precisamos que os sócios e os torcedores continuem, cada vez em número maior, nos ajudando com as filiações e pagando suas mensalidades, assistindo aos jogos, e com certeza chegaremos aos 40 mil sócios que é o objetivo que nós planejamos”.
Presidente confia na ampliação do quadro social atleticano, em 12/09/2013

"Nós já havíamos programado isso, de que ano que vem, como todos sabem, nós estaremos na nova Arena. Houve um atraso de 12 meses no nosso cronograma, mas há um compromisso de entregarmos para o primeiro jogo-teste a Arena praticamente pronta em janeiro de 2014. Dia 26 de janeiro nós teremos esta primeira partida, e consequentemente, teremos à disposição o nosso estádio, a nossa Arena, o nosso campo, a nossa casa linda, maravilhosa, renovada para jogarmos a Libertadores de 2014".
Mario Celso mira Libertadores para estrear nova Arena, em 17/09/2013

"Possibilidades de venda podem ser que surjam. Já surgiram agora na janela de verão (…).Se houver uma oferta que interesse ao clube e ao jogador principalmente não será por necessidade que o Atlético fará o negócio, mas sim até pelas condições e circunstâncias. Mas por necessidade de investimento na Arena nós já afirmamos várias vezes e volto a ratificar que o nosso clube tem auto-suficiência. Depois da inauguração da Arena não terá mais a necessidade de vender seus grandes jogadores para pagar folha de pagamento ou investimentos".
Presidente descarta vender jogadores para custear despesas com a Arena, em 21/09/2013

“Os melhores jogos nosso este ano, depois da recuperação do Mancini, ele não estava em campo. Agora o marketing do ídolo é muito forte. Decidimos que não renovaríamos. Poderíamos enrolar, eu estou sendo criticado por ser honesto com ele”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“(…) Ano que vem sim, no novo estádio que teve atraso de 13 meses, com outras condições, renda, quantidade maior de sócios, já que vislumbramos 40 mil sócios, aí teremos o Atlético que todo nós queremos, que entra nas competições para vencer”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Já tivemos 25 mil sócios e entendo que chegaremos a 40 mil. Nosso caminho é chegar a 40 mil sócios, teremos preços de R$ 100, R$ 150, R$ 250 por mês e para uma elite mais privilegiada teremos 3 mil lugares de camarotes a R$ 1.100,00 por mês. Acredito que teremos uma arrecadação acima de R$ 6 milhões em sócio torcedor/mês”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Nós temos a Rádio CAP, nós damos todas as informações para a torcida, damos entrevista para o nosso conteúdo. O veículo deve pagar, se ele pagar a transmissão terá a entrevista como subproduto. Se não pagar não terá nada. O problema é só de dinheiro”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Não sou contra a imprensa, ela tem seu papel, mas processo jornalistas pela deformação da informação, a tendência negativa da informação. A função social não precisamos discutir”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Se não fossem as forças ocultas nós seriamos campeões da Libertadores. Porque nos tiraram na mão grande, de uma forma vil do nosso estádio para jogar a final”.
Sobre a Libertadores em 2005, entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Dois meses depois [da final] os ‘bambinos’ foram lá, tomaram de quatro”.
Se referindo ao São Paulo, em entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

“Sou pretensioso, prometemos que em dez anos seremos campões do mundo. Se eu tiver saúde para isso, seremos, não tem como não ser porque é um esporte que se joga com os pés. O Corinthians, Internacional, São Paulo foram campeões do mundo. Porque não podemos?”.
Entrevista à ESPN Brasil, em 09/10/2013

"É vontade dos nossos torcedores e principalmente dos nossos sócios, que decidem a vida e o futuro da nossa instituição. A única razão fundamental da nossa nova posição, de termos revisto a decisão de não renovarmos com o atleta para 2014, foi o clamor e pedido da nossa torcida".
Sobre a renovação de Paulo Baier, em 16/10/2013

“Se tivermos o calendário da (Taça) Libertadores, que estamos no caminho, faremos um esforço muito grande para que tenhamos o retorno à nossa Arena com essa competição, a maior do hemisfério sul e das Américas. Com certeza, tentaremos preservá-los, conversá-los, renovar os contratos e valorizá-los. Mas, caso algum não queira permanecer ou tenha oferta milionária, a dificuldade será grande para mantê-los. Mas, nesse caso, buscaremos jogadores de nível para substituí-los”.
Sobre a manutenção de Manoel e Éderson para 2014, em 22/10/2013

EX-JOGADORES

“Se algum dia tiver a oportunidade em voltar para o Atlético-PR, voltarei com maior prazer”.
Fernandinho, em entrevista ao GloboEsporte.com, em 03/01/2013

"Aqui é melhor, mas seria bom voltar o Brasil, passar pelo menos um ano antes de encerrar a carreira. São vários clubes brasileiros interessantes. Tenho uma história no Atlético Paranaense".
Ilan, em entrevista ao site Trivela, em 08/04/2013

"Estou muito feliz, voltando para casa, aqui sempre foi minha casa, sempre me dei bem aqui. É uma alegria imensa. É o clube pelo qual sou apaixonado, não escondo de ninguém. Vivi três anos e meio aqui e fui muito feliz. Espero que eu consiga ser feliz como fui jogando. A energia aqui é muito positiva para mim. Espero colher frutos, aprender e ensinar nessa nova carreira".
Marcão, ao ser anunciado como auxiliar técnico do Sub-18, em 19/04/2013

"Em Curitiba fiquei muito emocionado com o carinho da torcida do atlético, depois de 10 anos ser recepcionado daquela forma e gratificante. Muito obrigado a todos vocês pelo reconhecimento do meu trabalho".
Jadson, após enfrentar o Atlético, pelo São Paulo, na Vila Capanema, em 11/11/2013



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Planejamento

Não estaria na hora de começar a planejar e preparar o time para o ano que vem? Porque não escalar Abner, Khellven, Erick? Entendo que…