9 mar 2014 - 20h39

Petkovic: “Nós todos estamos sentidos”

O técnico Dejan Petkovic falou sobre a derrota por 4 a 0 para o Paraná Clube, a pior já sofrida pelo Atlético no confronto contra o Tricolor. Para o treinador, o gol sofrido no início foi determinante para o resultado e contou com erro da arbitragem, mas o Furacão também não fez o seu melhor:

“Começamos o jogo com um gol muito cedo. Uma simples, pequena falha, o juiz não deu uma falta óbvia que houve em cima de um jogador no meio campo, em cima do Guilherme. Botaram ele no sanduíche, fizeram falta, ele não deu e nós tomamos gol nesse lance. Aí, depois nossa falha, não tiramos a bola de dentro da área, segundo gol. No segundo tempo tentamos mexer, começamos bem e tivemos uma primeira chance, segunda, atacando, mas levamos um contra-ataque que, não sei o que é que houve lá, nossos jogadores estavam protestando, não sei se foi impedimento, o que é que eles estavm alegando nesse momento. Mas houve tudo nesse jogo, né? Algumas falhas, a gente perdeu, eles jogaram melhor, não fizemos o melhor nosso nesse jogo, e vamos ter chance de melhorar no próximo domingo”, disse.

Petkovic foi questionado sobre o fato de ter perdido um jogo que “podia” perder, uma vez que o Rubro-Negro entrou em campo já classificado para as quartas-de-final do Estadual, mas disse que sua equipe pretendia a vitória:

“Nós sabíamos disso, mas também queríamos ganhar o jogo. Por isso mesmo foi a escolha minha de colocar os jogadores que têm o melhor condicionamento físico neste momento. Não deu certo, cabeça para riba, falei para eles, não pode se abater. Não conseguimos fazer o nosso máximo hoje e por isso perdemos, mas vamos ter a chance, a oportunidade de trabalhar esta semana e ter dois jogos para ver se realmente nós merecemos ganhar do Paraná”, lamentou.

O treinador também explicou sua opção de poupar jogadores e entrar em campo com um time bem diferente daquele que jogou muito bem e venceu de virada o Maringá na última quinta-feira (6):

“Temos que trabalhar bastante, mas é importante descansar alguns jogadores, recuperar alguns jogadores porque estão sentindo. O Zezinho já está perdido há dois jogos, machucou. Bruno Furlan, Mário Sérgio, agora o Hernani. Sidcley sentindo bastante algumas coisas. Porque foram muitos jogos, muito intensos, muita correria, em pouco tempo. Por isso que eles não estão em condições de jogar. Alguns estão assistindo um pouco, no meio termo, ficaram no banco, fizeram questão de ficar no banco para ficar dentro do grupo e entraram no segundo tempo, como o Otávio e o Crislan e até no final o Lucas”, explicou.

Além de destacar a necessidade de mudar o time pelo aspecto físico, Petkovic fez questão de dizer que não pretendia, com as mudanças, menosprezar o adversário:

“Não é desprezar o time do Paraná, muito menos de se deixar um luxo que possa perder e não importa o jogo, né? Nós todos estamos sentidos. Já falei para a garotada, sentimos um gosto muito doce, muito bom na quinta-feira; agora um gosto amargo e azedo nesta derrota. Pra que eles se fortaleçam nisso, aprendam e no próximo jogo a gente consegue dar um pouco mais, estar bem preparado. E, por coincidência, nosso próximo jogo vai ser contra o Paraná”, frisou.

Finalmente, o técnico atleticano ressaltou um aspecto positivo no confronto deste domingo (9), que foi o apoio da torcida na Vila Capanema, mesmo com o mau resultado. Para ele, esse comportamento obriga o time a se esforçar ainda mais para sair vitorioso nas quartas-de-final:

“A torcida estava lá, estava gritando, apoiando. Estão de parabéns.Fiquei surpreso um pouco, positivamente, então que eles já sabem. Então, com esse apoio deles, deram uma obrigação a mais para a gente de se preparar bem e de devolver para eles já no próximo jogo, contra o Paraná, que por coincidência a gente vai enfrentar já nas quartas-de-final o Paraná próprio”, completou.

O time Sub-23 do Atlético inicia a disputa por uma vaga nas semi-finais no próximo domingo (23), provavelmente no EcoEstádio Janguito Malucelli. O jogo de volta, com mando do Paraná Clube, ocorre na semana seguinte, na Vila Capanema.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…