14 jul 2014 - 18h59

Fifa dá nota 9,25 para Copa do Mundo no Brasil

Joseph Blatter, presidente da Fifa, deu nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva no Rio, a nota 9,25 ao Brasil pela organização da Copa do Mundo, assim como apontou que a qualidade do jogo em campo foi "excepcional".

Na África do Sul, palco do Mundial de 2010, Blatter deu nota 9 para o evento. Agora, ele destacou: "Passamos a noite debatendo a nota e chegamos à conclusão que o Brasil tirou nota 9,25". Em seguida, ele usou bom humor ao comentar o número atribuído aos brasileiros. "A perfeição não existe. Quem tira 10 teve algum tipo de acordo com o professor", disse, para depois completar: "Mas o Brasil melhorou a Copa em relação ao que vimos na África do Sul".

Blatter também enfatizou que o alto nível técnico das partidas e a boa organização do Mundial fará a Rússia ter uma missão dura na organização da próxima edição da competição, pois terá o bom desempenho do Brasil como organizador como referência.

"Essa Copa, no campo, foi excepcional. Acho que a próxima Copa terá um padrão alto a ser superado", indicou o dirigente. "Foi minha décima Copa. O que a faz tão especial é o futebol e a qualidade do futebol. Foi uma Copa especial. Começou o torneio com um futebol ofensivo. Antes, eles se observaram. Desta vez, vimos ‘boom, boom’", afirmou o suíço, ao lembrar da coragem exibida pelas seleções de buscar o ataque.

Sucesso

Blatter também comemorou a "enorme repercussão" da Copa do Mundo, cuja decisão do domingo foi acompanhada por um bilhão de pessoas ao redor do mundo. Ele agradeceu ainda à população brasileira e disse que o papa Francisco encaminhou uma mensagem à entidade parabenizando pelo evento, mas lamentando o vice-campeonato dos argentinos, definido com a derrota da seleção do seu país por 1 a 0 para a Alemanha, no Maracanã.

"Recebemos uma mensagem do papa Francisco hoje pela manhã. Ele não ficou muito feliz porque sua seleção não ganhou, mas disse que Copa do Mundo fantástica", afirmou Blatter, que abriu a coletiva de imprensa no Maracanã organizada pela Fifa, Comitê Organizador Local (COL) e governo, a fim de se fazer um balanço do Mundial.

Segundo Blatter, a audiência da final da Copa foi de um bilhão de pessoas, incluindo todas as plataformas. "Foi um evento esportivo que teve grande repercussão, pela TV, na imprensa escrita, nas redes sociais", disse.

Ricardo Trade, CEO do COL, também comemorou o sucesso da Copa dentro e fora de campo. "Não tivemos a crise na mobilidade, nos aeroportos e nas telecomunicações", disse. "Podemos bater no peito como brasileiros e ter orgulho de dizer que tivemos sucesso", insistiu. "Ganhamos essa Copa", completou.



Últimas Notícias