3 ago 2014 - 21h08

Insistindo nos erros, Atlético perde a segunda com Doriva

Com falhas defensivas e ineficiência nos contra-ataques, o Atlético perdeu para o Galo mineiro por 3 a 1 na tarde deste domingo (03), no Estádio Independência. Apesar da derrota, a segunda sob o comando do técnico Doriva, o time se manteve na 9ª colocação do Campeonato Brasileiro.

O principal viés da derrota foram as falhas defensivas, que resultaram nos três gols mineiros no jogo – dois, inclusive, marcados contra por jogadores do Rubro-Negro. No primeiro tempo, a primeira falha fatal foi de desatenção, após a cobrança do lateral direto na área que Leonardo Silva concluiu de cabeça para abrir o marcador. No segundo tempo, outras duas falhas: aos 30′, Léo Pereira tentou cortar o chute de Luan e marcou contra o patrimônio. E aos 41′, Deivid cometeu falha similar e também marcou contra. Antes, aos 10′, marcos Guilherme marcou para o Furacão.

Na próxima rodada o Atlético volta à Arena da Baixada, com portões fechados, contra o Botafogo, domingo (10), às 16 horas.

Primeiro tempo: Jogo aberto, Furacão buscando contra-ataques

O primeiro tempo ficou marcado pelo jogo bem aberto, mas com os donos da casa chegando mais vezes. O Furacão começou o jogo forçando a marcação e tentando armar um contra-ataque rápido e tocando bem a bola, porém sem levar perigo ao gol de Victor.

Aos 7 minutos, lance de muita reclamação pelo lado Alvinegro. Após a cabeçada de Jô, Deivid tirou a bola em cima da linha, os jogadores do Galo reclamaram pedindo gol. O Atlético-PR seguiu com muita disposição no ataque, porém sem conseguir criar reais situações de perigo para o gol de Victor. O Galo então começou a se impor e chegou com perigo com Jô e Maicosuel.

A primeira finalização do Atlético só veio aos 20 minutos, com Douglas Coutinho chutando fraco de fora da área. O time mineiro voltou a comandar o jogo e começou a forçar na marcação. Em bela jogada do Galo aos 27 minutos, Maicosuel acertou o travessão, na sequência do lance o Atlético-PR armou um contra-ataque rápido e quase marcou com Marcelo, em jogada trabalhada com Marcos Guilherme.

Aos 30 minutos, Guilherme bateu uma falta perigosa, por cima do gol de Santos. No melhor momento do Atlético-MG no primeiro tempo, aos 33 minutos, depois de uma cobrança de lateral, o zagueiro Leonardo Silva cabeceou quase que de costas, para abrir o placar.

O final do primeiro tempo ainda teve dois outros lances perigosos. Uma bela jogada de Douglas Coutinho, que driblou dois defensores e chutou de esquerda, ao lado do gol de Victor, e uma bela defesa de Santos, que defendeu com o joelho o chute de Jô cara-a-cara com o goleiro Rubro-negro.

Segundo tempo: Atlético começou melhor, mas acabou se perdendo

O Atlético-PR voltou do intervalo com mais volume de jogo, trocando mais passes no campo de ataque e impondo mais o jogo. Aos 7 minutos do segundo tempo, Marcelo chutou de longe, sem perigo para o gol de Victor.

No melhor momento do Furacão no jogo, Marcos Guilherme acertou um chute forte de fora da área e marcou um belo gol, aos 10 minutos do segundo tempo. O Atlético-PR começou a melhorar no jogo, aos 14 minutos, mais um ataque rubro-negro. Em jogada de Marcelo e Natanael, a bola foi para fora.

No decorrer da partida, o Galo começou a explorar mais as jogadas aéreas pelas laterais. O Furacão seguiu na retranca, aguardando o contra-ataque até que, aos 30 minutos, após cruzamento rasteiro de Luan pela direita, Léo Pereira tentou tirar e acabou marcando contra.

Depois do gol, o Atlético-MG segurou a posse de bola no ataque, e seguiu trocando passes e cadenciando a partida. Já o Furacão seguiu na estratégia de aguardar o Galo na defesa. Neste momento, os comandados de Levir Culpi dominaram o jogo. O time mineiro dominou através do controle da posse de bola e chegando com perigo em várias oportunidades. Após confusão na defesa, Deivid tentou afastar a bola e acabou empurrando contra o gol de Santos. Segundo gol contra do Atlético-PR no jogo, aos 41 minutos do segundo tempo.

%ficha=1059%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…