1 set 2014 - 10h11

Relembre alguns números da reforma no estádio

Está chegando a hora! Para comemorarmos o reencontro da reformada Arena da Baixada com a torcida do Atlético, a Furacao.com relembra os principais números da reforma da casa rubro-negra.

Após o término do Campeonato Brasileiro de 2011, na vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, a Arena da Baixada ficou fechada para a reforma para a Copa do Mundo. De lá até o primeiro evento-teste contra o J.Malucelli, no dia 29 de março de 2014, mudanças no orçamento e algumas reclamações da FIFA aconteceram.

O orçamento inicial da reforma era de R$ 150 milhões. Em março de 2011, o presidente Mario Celso Petraglia declarou que R$ 60 milhões o Atlético, a prefeitura e o governo estadual iriam pagar. Já o restante do orçamento viria por empréstimo junto ao BNDES para o Tesouro do Estado do Paraná. O montante iria ser repassado para as três partes via FDE – Fundo de Desenvolvimento Econômico para a Agência de Fomento, sendo que, para o Atlético, a amortização dos R$ 45 milhões seria paga em 18 anos com R$ 600 mil por mês mais os juros mensais.

Porém, devido ao atraso da obra, ao orçamento inicial já ter sido modificado e depois de apresentar a proposta com garantias financeiras, o orçamento final passou a ser outro. Dos R$ 150 milhões iniciais, o valor final passou a ser R$ 330 milhões. Com os recursos do programa Pós-Copa Arenas, do BNDES, praticamente esgotados, o Governo estadual conseguiu um financiamento de R$ 65 milhões para o Atlético. Com isto, a Arena conseguiu o impulso financeiro final para conseguir ficar pronta para a Copa do Mundo no Brasil.

Já com a reforma concluída, a “nova” casa do Atlético foi um dos 12 estádios utilizados na Copa. Durante o evento mundial, a Arena teve o seu maior público até então. O antigo recorde havia acontecido no primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro de 2001. Nesta partida, o total de público foi de 31.700 pessoas. Já no jogo entre Austrália e Espanha, na última rodada da fase de grupos da Copa, o público total foi de 39.375 pessoas.

Uma vez que FIFA permitiu a venda de somente 40 mil ingressos, este recorde pode ser quebrado novamente, pois a capacidade total do estádio passou a ser de 43 mil pessoas. Destes 43 mil assentos, 212 são reservados para cadeirantes, 46 para deficientes visuais, 88 para pessoas com mobilidade reduzida e 88 para pessoas obesas.

A partir desta quarta-feira podemos traçar uma nova história para o centenário estádio Joaquim Américo. Seja bem-vindo, torcedor rubro-negro, ao mais moderno estádio do Paraná e um dos melhores do país!



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…