17 set 2014 - 22h16

Segundo jogadores, falta de contra-ataques prejudicou

Para começar a partida contra o Cruzeiro, Claudinei Oliveira optou em iniciar com três zagueiros. Além destes três defensores, o sistema defensivo rubro-negro contava com Sueliton, Deivid, João Paulo e Natanael. Por estar utilizando um esquema tático diferente do habitual, o sistema defensivo do Atlético neutralizou a Raposa até os 26 minutos do primeiro tempo, e, depois de então, devido ao desentrosamento da distribuição dos jogadores, o Furacão só finalizou uma vez na primeira etapa. Já em relação ao segundo tempo, o Rubro-Negro arrematou só mais uma vez.

O Atlético iniciou defensivo, mas pecou nos contra-ataques iniciados pela equipe. Sobre estes contragolpes falhados, Marcos Guilherme afirmou:

“É muito difícil, (o Cruzeiro) é uma equipe muito qualificada, né? A nossa proposta era de marcar bem o Cruzeiro e explorar os contra-ataques. Infelizmente não conseguimos”, disse o meia.

No mesmo sentido, Gustavo também assumiu as falhas nos contra-ataques iniciados, mas lembrou que o próximo jogo será na Arena e a equipe contará com o apoio dos torcedores do Atlético:

– Infelizmente, as coisas não aconteceram da forma como imaginávamos. Conseguimos anular (o Cruzeiro) até certo ponto, mas nos contra-ataques erramos muitos passes e não finalizamos. Temos agora um jogo difícil contra o Inter, mas com o apoio do torcedor esperamos vencer – afirmou o zagueiro.

O próximo jogo do Atlético será contra o Internacional, às 18:30, na Arena da Baixada, no sábado (20).



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…