22 dez 2014 - 12h56

Os meio-campistas do elenco

O setor ofensivo do meio-campo atleticano foi totalmente refeito para a temporada 2014. Durante o ano de 2013, Paulo Baier e Everton foram titulares, enquanto que Felipe e, vez ou outra, Zezinho, jogando em sua real posição, eram utilizados. O meia de idade avançada foi para o Criciúma, onde foi dispensado antes mesmo do término do Brasileiro (a equipe acabou rebaixada na lanterna), Everton foi o melhor jogador do Flamengo na atual temporada, enquanto Felipe e Zezinho foram inconstantes no Figueirense e na Chapecoense, respectivamente.

Com o grande esvaziamento da posição, o Atlético resolveu promover atletas da base para o elenco principal ao invés de ir ao mercado. Os jovens Marcos Guilherme e Nathan foram promovidos após participarem, com destaque, do Campeonato Paranaense pela equipe B do Furacão, mas apenas o primeiro se firmou na equipe.

Marquinhos, como é chamado, tem apenas 19 anos. O atleta já havia jogado o Paranaense 2013, mas foi em 2014 que teve grande destaque, se tornando o artilheiro da equipe na competição e ajudando o time a ficar entre os quatro primeiros. Ao todo, Marcos Guilherme jogou 48 partidas nesta temporada, sendo 35 delas no Campeonato Brasileiro. Com uma relação de amor e ódio com a torcida, que entende que o jogador poderia fazer mais ofensivamente, Marcos vêm evoluindo, tendo grande papel tático na equipe de Claudinei Oliveira, e pode, ao lado de jogadores com mais experiência, se destacar ainda mais nas próximas temporadas. O jogador foi convocado por Alexandre Gallo para o Sul-Americano Sub-20, que terá início no próximo dia 15.

Com Nathan falhando na equipe principal, seja através de atuações inconstantes nos minutos em que esteve em campo ou da extensa luta extracampo que o Clube iniciou para a renovação de seu contrato, o recém contratado Bady teve a oportunidade de ser titular. Contratado em Abril após ter se destacado no Paulista pelo São Bernardo, o armador teve um início difícil, onde não conseguiu mostrar um bom futebol. Foi com o interino Leandro Ávila que inicialmente o jogador deu sinais de que poderia ser importante, mas foi o atual treinador quem soube melhor aproveitar o meia. Apesar de não ser o meia dos sonhos da torcida, Bady, sempre que jogou, soube comandar e cadenciar a equipe com a bola nos pés, e se posicionar de maneira correta para que a equipe se mantivesse coesa na hora de defender.

Opções

Além de Nathan, o lateral improvisado Sidcley, o meia Carlos Alberto, que retornou de um empréstimo ao Santa Cruz, e os emprestados Zé Paulo, do Corinthins, e Pedro Paulo, do Cruzeiro, foram as opções dos treinadores ao longo do ano. Nathan foi o que mais se destacou dentre estes, pois, mostrou que tem grande qualidade técnica. Porém, o atleta não conseguia se manter regular dentro das partidas em que participava, e, somado ao fato de estar brigando, inclusive judicialmente, com o Clube para não renovar seu contrato, o jogador ficou aquém do que se esperava dele, que era, anteriormente, tratado como uma jóia da base atleticana.

Sidcley participou do Paranaense no início da temporada e teve um certo destaque na equipe. No time principal, poucas vezes foi utilizado como lateral esquerda e mais como meio-campo, e fora alguns bons lances de habilidade não conseguiu mostrar muito futebol, o que lhe rendeu um lugar no banco em grande parte do Brasileiro. Já Carlos Alberto e os “Paulos” do setor tiveram poucas oportunidades, tendo jogado apenas 2 jogos cada.

Ainda no primeiro semestre o elenco também contou com os gringos Fran Mérida, espanhol, e Matías Mirabaje, uruguaio, que não conseguiram convencer e acabaram dispensados.

Contratações

Marcos Guilherme tem contrato até o início de 2018, enquanto que Sidcley e Carlos Alberto podem ficar no Clube até 2016. Informações sobre a duração do contrato de Bady não foram encontradas.

Nathan tem contrato até Março de 2015 e, caso o clube não consiga manter uma liminar de extensão automática de 2 anos na justiça, deve seguir para outra equipe. Zé Paulo e Pedro Paulo devem retornar aos clubes que detém seus direitos econômicos, visto que não existem boatos sobre sua manutenção no Furacão.

A tendência é que o Atlético volte a promover meias das categorias de base para a equipe principal ao invés de realizar contratações, principalmente após a boa temporada dos jovens da categoria Sub-20 que devem, também, disputar o Campeonato Paranaense com a equipe Sub-23.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…