22 mar 2015 - 20h18

Goleada para respirar

O Atlético entrou em campo neste domingo (22) com a responsabilidade de vencer o Nacional para continuar sonhando com a possibilidade de escapar do "Torneio da Morte" e garantir uma vaga nas quartas-de-final do Paranaense.

Diante de um adversário frágil, na estreia do técnico Enderson Moreira o Rubro-Negro não teve dificuldades para cumprir a primeira parte do desafio. Com alterações no time titular, o Furacão fez 7 a 0 ao natural e agora depende de uma vitória sobre o Londrina e um tropeço do Cascavel para passar à próxima fase.

O jogo:

Sabendo da necessidade de vencer e aproveitando o fato de encarar um adversário fraco, o Rubro-Negro partiu para cima e abriu o placar logo no primeiro minuto. Em cobrança de falta da intermediária, Bady mandou a bola pingando na área e Gustavo bateu de primeira, sem chances para o goleiro Allyson.

Mesmo em vantagem, o Furacão seguiu pressionando e não demorou para ampliar o placar. Aos 16, Marcos Guilherme aproveitou a bobeada da zaga do Nacional, partiu pela esquerda e cruzou. João Pedro tentou afastar, mas acabou marcando contra. Minutos depois, aos 23, Cléo recebeu lançamento da direita e, de cabeça, tocou no ângulo para fazer o terceiro. Com a vantagem, o Atlético passou a administrar a partida, mas ainda assim levava perigo à meta adversária e Weverton apenas assistia ao jogo, já que o Nacional não ameaçava seu gol.

No segundo tempo, o time de Enderson Moreira voltou com a mesma vontade e logo marcou mais um. Aos sete minutos, Marcos Guilherme fez linda jogada pelo meio e tocou para Natanael que, de direita, bateu colocado e viu a bola parar no fundo das redes de Allyson pela quarta vez.

Mas não foi só! Aos 14, Edigar Junio, que retornou ao time titular, também teve a oportunidade de marcar o seu. O atacante recebeu lançamento de Bady e, de cabeça, ampliou a vantagem atleticana. Depois, Edigar foi substituído por Dellatorre, que aos 39 minutos fez o sexto do Atlético, aproveitando o rebote depois de cobrança de escanteio. Já no apagar das luzes, aos 46, Hernani recebeu cruzamento, dominou e bateu para fechar o placar na Arena: 7 a 0, a maior goleada do Campeonato Paranaense.

A vitória foi muito comemorada pelos jogadores. Mas, apesar do placar elástico, o Rubro-Negro ainda está em situação complicada na competição. Além de precisar vencer o Londrina, o Atlético tem que torcer por um tropeço do Cascavel, que não pode vencer o Foz do Iguaçu na última rodada.

%ficha=1096%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…