15 abr 2015 - 21h45

Tem muito o que remar…

“Vergonha! Vergonha!” O coro foi o grito que mais se ouviu na Baixada na noite desta quarta-feira (15), no jogo em que o Atlético repetiu a triste rotina de péssimas atuações, empatou por 1 a 1 com o Remo no tempo regulamentar e conseguiu a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil nos pênaltis – vitória por 5 a 4.

Em campo, o Atlético novamente abusou nos erros de passe e nas falhas de marcação, jogou com apatia a maior parte da partida e revoltou os torcedores nas arquibancadas. Lula, após um excelente cruzamento de Felipe, abriu o placar para o Atlético, aos 19 minutos do primeiro tempo. O time ainda teve chance de ampliar aos 38, no chute de Felipe em que a bola acertou a trave. Mas na etapa final, o Atlético repetiu erros primários de marcação e permitiu o empate do Remo aos oito minutos, com Felipe Macena.

O Furacão só conseguiu um lampejo de bom futebol e pressionar o adversário – que disputa a quarta divisão do futebol brasileiro e veio com um time misto a Curitiba – nos minutos finais, nas conclusões de Edigar Junio e Gustavo Marmentini.

A péssima atuação, aliada à campanha pífia do clube na temporada, revoltou a torcida, que gritava “vergonha!” e pedia “raça” antes das cobranças de pênaltis.

Nas penalidades, Alex Ruan e Ilaílson desperdiçaram as cobranças para o Remo, enquanto o estreante Jadson perdeu para o Atlético, decretando a vitória rubro-negra por 5 a 4. Na próxima fase, o Atlético enfrenta o Tupi-MG, que eliminou o Alecrim.

Mesmo com a classificação, o time Rubro-Negro saiu de campo sob vaias e muitos protestos da torcida. No próximo sábado (18), o Atlético recebe o Rio Branco pelo Torneio da Morte do Campeonato Paranaense.

%ficha=1102%



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…