12 ago 2015 - 23h03

Mendes lamentou vacilos defensivos

A derrota para o Flamengo nesta quarta (12), por 3 a 2, pôs fim à sequência de bons resultados do Atlético, que vinha se recuperando no Campeonato Brasileiro e almejando uma vaga no G4. Depois da partida, no Maracanã, o técnico Milton Mendes falou sobre o desempenho de sua equipe e reconheceu que o Rubro-Negro foi desorganizado em determinados momentos:

"A equipe do Flamengo entrou muito forte, determinada a abrir o marcador rapidamente. Conseguiu. Tentamos, de uma forma um pouco menos organizada em alguns momentos. Depois, conseguimos o empate na bola parada", disse.

O técnico também justificou a substituição de Bruno Mota por Barrientos, ocorrida logo aos 31 minutos da primeira etapa:

"Fiz a primeira substituição porque o Mota não estava se posicionando como eu achava que deveria", resumiu.

Mendes ainda falou sobre os vacilos da defesa, que permitiram ao Flamengo abrir boa vantagem no primeiro tempo mesmo após o Atlético ter equilibrado as ações e empatado a partida:

"Conseguimos equilibrar, a equipe cresceu no jogo. Em um momento infeliz da nossa defesa, levamos outro gol. O segundo, já perto do intervalo. Depois, levamos o terceiro, de falta. Não tínhamos levado três gols ainda, mas sofremos dois de bola parada", lamentou.

Apesar disso, o treinador ressaltou a luta do time na busca por um resultado melhor, especialmente no segundo tempo:

"Nossos jogadores, no segundo tempo, tentaram de tudo. Lutamos, dentro de um campo difícil. Os atletas foram extraordinários. Lutaram e tentaram fazer tudo o que podiam", avaliou.

Ciente de que já tem dois desfalques certos, já que Sidcley recebeu o terceiro cartão amarelo e Hernani acabou expulso, Milton Mendes concluiu projetando o jogo contra o Santos, no sábado (15), na Arena da Baixada, que marca o encerramento do primeiro turno do Brasileirão para o Atlético:

"Temos só dois dias para recuperar os nossos jogadores. Vamos avaliar direito e ver os jogadores que podem jogar", finalizou.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…