1 out 2015 - 1h39

Vieira comemora vaga, mas reconhece mau futebol

A mudança no comando técnico do Atlético não surtiu muito efeito e, mais uma vez, a equipe demonstrou nervosismo, errando muitos passes e pecando na finalização. Com isso, apenas empatou sem gols com o Brasília, no jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. A vitória por 1 a 0 na Arena, porém, garantiu o time nas quartas de final da competição.

Após a partida, o treinador interino Sérgio Vieira concedeu entrevista ao site oficial e destacou a importância da classificação do Rubro-Negro, mas reconheceu que o futebol apresentado não foi dos melhores:

"Quando você passa de uma eliminatória, a avaliação tem que ser muito positiva, embora saibamos que não tenha sido um jogo da forma como queríamos do ponto de vista da organização coletiva e dos diversos momentos da partida. Temos noção perfeita do que temos que corrigir e o que temos que melhorar", avaliou.

O português destacou, porém, que os próprios atletas têm noção da necessidade de melhora o que. Para ele, esse é um fator positivo:

"O que eu fico mais otimista e satisfeito é que os jogadores também têm noção disso, do que precisa ser melhorado individualmente e coletivamente. Quando é assim, penso que é uma questão de tempo e de treino", ponderou.

O treinador também falou sobre as substituições realizadas durante a segunda etapa, justificando a entrada de Pereirinha no lugar de Ewandro, Ytalo no lugar de Bruno Mota e Hernández no lugar de Crysan:

"A eliminatória estava a nosso favor, pelo resultado que conseguimos no jogo de ida. Tínhamos que ser inteligentes. A intenção foi reforçar a primeira linha de pressão, da frente, que é onde começamos a defender", explicou.

Vieira, entretanto, não falou sobre os riscos sofridos pela equipe no final da partida que, se sofresse um gol, acabaria tendo que decidir a vaga nos pênaltis.

Com a classificação garantida para as quartas de final, em que encara o Sportivo Luqueño, do Paraguai, o técnico português – que pertence à comissão permanente do Atlético – ainda projetou o confronto do próximo sábado (3), contra o São Paulo, pelo Brasileirão (competição em que o time amarga uma sequência de seis jogos sem vencer e quatro derrotas consecutivas):

"Teremos que ser inteligentes, ter boa estratégia e trabalhar bem amanhã, sexta-feira e sábado. O nosso modelo [de jogo] não se altera de acordo com o nosso adversário. Temos que fortalecer o nosso modelo", finalizou.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…