21 out 2015 - 21h54

Yo soy FURACÃO!

Foi um duelo tipicamente sul-americano. Teve catimba, muita reclamação, erro de arbitragem, adversário briguento… mas, enfim, o Atlético voltou a vencer depois de seis partidas, derrotou o Sportivo Luqueño por 1 a 0 e mostrou poder de reação na Copa Sul-Americana.

Tão importante quanto vencer, o time voltou a demonstrar momentos de bom futebol, apostando nas jogadas em velocidade e nos toques de bola objetivos e para cima do adversário, uma receita que se mostrou eficaz aos 18 minutos do segundo tempo, quando Walter fez a jogada na direita, cruzou para Nikão que inteligentemente rolou a bola para Marcos Guilherme fazer o gol que garantiu a vitória.

O jogo ainda teve dois erros cruciais do árbitro peruano Victor Carrillo, que aos 10 minutos anulou um gol legítimo de Walter, alegando falta não existente de Kadu; e no lance do gol rubro-negro não marcou a falta no início da jogada do próprio Walter.

O Furacão teve ainda a chance de ampliar com Marcos Guilherme, aos 39’, e Weverton garantiu a vitória com uma bela defesa na conclusão de Di Vanni, aos 44’.

CRAQUE: Walter se mostrou mais uma vez decisivo para o Furacão, dos seus pés saíram as principais jogadas no ataque e o camisa 18 deu trabalho para a defesa paraguaia.

NERVOSO: O Sportivo Luqueño se mostrou nervoso em vários momentos da partida, com os jogadores tentando discutir com os atleticanos em vários momentos.

TORCIDA: O encontro de brasileiros e paraguaios rendeu uma bonita festa das duas torcidas. Antes da bola rolar, nas imediações da Arena, o clima de confraternização entre os torcedores deu um brilho a mais à partida.

O GOL
1X0 – 18’/2º: MARCOS GUILHERME – Walter faz boa jogada na direita, se livra da marcação e cruza para Nikão, que dá o passe preciso para trás para Marcos Guilherme chutar com força e garantir a vitória.

%ficha=1143%



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…