5 nov 2015 - 18h59

Empresa anuncia contrato para instalar grama artificial

A empresa portuguesa Global Stadium anunciou nesta quinta-feira que assinou contrato com o Atlético para instalar grama artificial na Arena da Baixada.

O tema do gramado artificial surgiu nesta semana, a partir de uma manifestação do presidente Mario Celso Petraglia de que o clube estava cogitando essa alternativa em virtude dos obstáculos para ter um gramado de qualidade no estádio – na verdade, o contrato já havia sido assinado alguns dias antes, em 30 de outubro. O dirigente participou de um evento na Europa sobre a evolução da tecnologia e os requisitos exigidos pela FIFA e logo em seguida assinou, ao lado do engenheiro Luiz Volpato, o contrato com os portugueses.

Três dias depois da declaração de Petraglia, a empresa Global Stadium tornou público via Facebook o acerto com o clube: "Culminando 1 ano de negociações, a GVgroup assinou hoje em Portugal, nos escritórios do Grupo ACA, o acordo com o Clube Atlético Paranaense. Agradecemos ao seu presidente, Dr. Mário Celso Petraglia, e ao Eng/Arq Luiz Volpato, toda a confiança depositada".

GVGroup e Italgreen

A Global Stadium é uma empresa do Grupo ACA, que atua no setor de engenharia. Controlada pelo empresário Alberto Couto Alves, a ACA atua há quase três décadas em três continentes e conta com milhares de funcionários. A sede fica em Vila Nova de Famalicão, cidade do Norte de Portugal.

A empresa portuguesa é na verdade representante da italiana Italgreen, que é a fabricante dos gramados artificiais. A Italgreen existe desde 1983 e tem sede em Bérgamo, na Itália. Segundo seu site, já produziu mais de 10 mil campos com gramado sintético. Vários clubes de ponta são clientes da marca, principalmente para campos de treinamento – são os casos de Manchester City, Juventus e Galatasaray.

Polêmica em Portugal

A Global Stadium existe desde 2009 e é especializada na instalação de gramados sintéticos. Em seu site, apresenta mais de dez estádios com gramados sintéticos certificados pela FIFA. O mais importante do portfólio da empresa é o Estádio do Bessa, de propriedade do Boavista, com capacidade para 30 mil pessoas.

Este foi o primeiro estádio com gramado artificial a receber jogos da Primeira Divisão portuguesa. Contudo, a Liga Portuguesa proibiu a adoção do gramado sintético recentemente.

Em razão disso, o Boavista foi obrigado a remover o gramado sintético e a replantar a grama natural. Confira matéria do jornal Record sobre a recente substituição realizada pelo clube luso.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…