22 nov 2015 - 21h30

Em ritmo de treino

O Atlético empatou por 0 a 0 com o Sport na Ilha do Retiro, em Recife, em jogo realizado na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro 2015. O Furacão se manteve em décimo lugar, agora com 48 pontos.

O jogo começou em ritmo de treino. Sport e Atlético não têm mais pretensões no Campeonato Brasileiro, a não ser terminar na melhor colocação possível. Os times já não disputam o G4, como chegou a ocorrer em determinado momento da competição, e também já não correm risco de cair.

Aliado a isso, o clima de treino foi completado pela falta de torcida na Ilha do Retiro – o Sport foi punido pelo STJD por uma briga no jogo contra o Coritiba. Assim, era possível ouvir o grito dos jogadores, orientações da comissão técnica e até a batida na bola.

As melhores jogadas do Atlético no primeiro tempo saíram do lado direito, principalmente com Eduardo. Aos 5, ele cruzou e Nikão bateu cruzado, na rede pelo lado de fora. Aos 32, o lateral cruzou, Walter dominou e bateu no canto, mas para fora.

Mesmo jogando no contra-ataque, o Furacão teve mais posse de bola (55% a 45%) e criou as melhores chances.

Weverton garante empate

O Sport chegou a balançar as redes aos 7 minutos do segundo tempo, mas a jogada foi corretamente anulada pela arbitragem. Hernane recebeu cruzamento em posição de impedimento. Ele precisou concluir duas vezes para marcar, mas o impedimento foi anotado.

Aos 20, dois técnicos fizeram as primeiras substituições. Eduardo, principal arma ofensiva do Atlético, saiu machucado. Hernane arriscou de fora da área para boa defesa de Walter. O Furacão respondeu com Walter, que arrematou duas vezes para defesas de Danilo Fernandes.

O Sport melhorou no jogo e teve duas chances claras para abrir o marcador, ambas com Hernane. Aos 27, ele ficou cara a cara com Weverton, deu um toquinho para desviar, mas mandou para fora. No minuto seguite, ele dividiu com a zaga e a bola tocou na trave.

Aos 35, Weverton fez uma defesa excepcional com os pés, interceptando chute de Régis e evitando o gol do Leão da Ilha. O Atlético respondeu com Marcos Guilherme, aos 39, mas o chute cruzado saiu muito fraco.

Nos descontos, o Sport reclamou de um pênalti em um lance em que Durval cruzou e a bola tocou na mão de Bruno Pereirinha. Mas o lateral havia colocado os braços para proteger o rosto e isso foi levado em consideração pela arbitragem.

%ficha=1149%



Últimas Notícias