21 fev 2016 - 20h21

Cristóvão reconheceu que o time não esteve bem

Depois do empate por 2 a 2 com o Cascavel, neste domingo (21), em confronto válido pela 5ª rodada do Campeonato Paranaense, o técnico Cristóvão Borges concedeu entrevista e analisou a atuação do Rubro-Negro que, se não encantou, ao menos manteve a invencibilidade na temporada.

Para o treinador, o time se recuperou na segunda etapa, mas o primeiro tempo deixou a desejar, especialmente na marcação:

"Tomar o gol no final é muito ruim. Mas isto tudo porque não fizemos um primeiro tempo muito bom. Permitimos demais a equipe adversária, marcamos com muita distância. Pelo menos, recuperamos o que tínhamos feito no primeiro tempo, que não foi bom. O segundo foi melhor", disse.

O treinador atleticano falou também sobre as alterações promovidas na equipe. Com Sidcley machucado, ele optou pela entrada de Anderson Lopes. Na defesa, pThiago Heleno e Cleberson assumiram os lugares de Vilches e Paulo André e Cristóvão explicou:

"Foi por opção. Sempre que tiver oportunidade, vou dar chance para os que não jogaram", resumiu.

Ele ainda comentou a entrada de Crysan, no lugar de Marcos Guilherme, após o intervalo:

"Com a entrada dele, o Romarinho ficou mais e conseguimos ‘agredir’, porque ele é um jogador veloz. Atingimos o que queríamos", analisou. Crysan meteu uma bola na trave logo no primeiro minuto em campo e marcou o gol da virada atleticana, aos 32’/2º.

Por fim, Cristóvão Borges falou do jogo de quarta-feira (24), contra o Criciúma, que marca o retorno do Atlético à sua casa e a inauguração da grama sintética na Baixada, com a expectativa de recorde de público e uma grande festa da torcida rubro-negra:

"Sabemos distinguir bem as coisas. O jogo de quarta é uma grande partida. Voltaremos a jogar em casa, com o apoio da torcida. É uma outra atmosfera", finalizou.



Últimas Notícias

Opinião

Guenta os Coxa

Foram, são e serão sempre os nossos rivais. Sim, temos que “guentar os coxas”. Hoje pode parecer fácil, mas não é. No rugby aprende-se muito…