21 fev 2016 - 20h21

Cristóvão reconheceu que o time não esteve bem

Depois do empate por 2 a 2 com o Cascavel, neste domingo (21), em confronto válido pela 5ª rodada do Campeonato Paranaense, o técnico Cristóvão Borges concedeu entrevista e analisou a atuação do Rubro-Negro que, se não encantou, ao menos manteve a invencibilidade na temporada.

Para o treinador, o time se recuperou na segunda etapa, mas o primeiro tempo deixou a desejar, especialmente na marcação:

"Tomar o gol no final é muito ruim. Mas isto tudo porque não fizemos um primeiro tempo muito bom. Permitimos demais a equipe adversária, marcamos com muita distância. Pelo menos, recuperamos o que tínhamos feito no primeiro tempo, que não foi bom. O segundo foi melhor", disse.

O treinador atleticano falou também sobre as alterações promovidas na equipe. Com Sidcley machucado, ele optou pela entrada de Anderson Lopes. Na defesa, pThiago Heleno e Cleberson assumiram os lugares de Vilches e Paulo André e Cristóvão explicou:

"Foi por opção. Sempre que tiver oportunidade, vou dar chance para os que não jogaram", resumiu.

Ele ainda comentou a entrada de Crysan, no lugar de Marcos Guilherme, após o intervalo:

"Com a entrada dele, o Romarinho ficou mais e conseguimos ‘agredir’, porque ele é um jogador veloz. Atingimos o que queríamos", analisou. Crysan meteu uma bola na trave logo no primeiro minuto em campo e marcou o gol da virada atleticana, aos 32’/2º.

Por fim, Cristóvão Borges falou do jogo de quarta-feira (24), contra o Criciúma, que marca o retorno do Atlético à sua casa e a inauguração da grama sintética na Baixada, com a expectativa de recorde de público e uma grande festa da torcida rubro-negra:

"Sabemos distinguir bem as coisas. O jogo de quarta é uma grande partida. Voltaremos a jogar em casa, com o apoio da torcida. É uma outra atmosfera", finalizou.



Últimas Notícias

Torcida

Domingo é decisão

A partir das 11h do próximo domingo dia 16 de fevereiro, Athletico e Flamengo se enfrentam no estádio Mané Garrincha em Brasília em jogo único…

Opinião

Tamanho

Conheci Jasper em Santiago há alguns anos. Holandês de nascença, já era cidadão do mundo fazia algum tempo e morava no Chile há alguns meses.…