28 fev 2016 - 22h00

Derrota na Vila

Com muito volume de jogo e pouca produtividade, o Atlético perdeu sua invencibilidade no Campeonato Paranaense para o Paraná Clube, por 1 a 0, na noite deste domingo, na Vila Capanema, pela sétima rodada do torneio. O Rubro-Negro jogou a maior parte do segundo tempo com um jogador a mais, mas não conseguiu ser incisivo e viu Robson marcar o único gol da partida, para os mandantes. Com resultado, o Atlético cai para a quarta posição na tabela, a sete pontos de distância do líder Paraná Clube, que tem 18 pontos – o Furacão tem um jogo a menos, pois enfrenta na quinta-feira o Foz, em jogo da sexta rodada.

O jogo começou com o Atlético no ataque. Desde os primeiros minutos, o Rubro-Negro era dono da posse de bola e adiantava a marcação para pressionar o Paraná. Mesmo assim, o time atleticano levava pouco perigo ao Tricolor, já que esbarrava na marcação adversária e não conseguia concluir à meta de Marcos. Os donos da casa apostavam no contra-ataque, e chegaram com perigo em um chute da Nadson, aos 11 minutos, defendido por Wéverton. O Furacão teve sua primeira chance com Vilches, aos 17 minutos, quando o zagueiro chileno cabeceou a bola após cobrança de escanteio de Vinícius, que passou ao lado direito da meta paranista. No fim do primeiro tempo, aos 43 minutos, Nadson chutou à esquerda de Weverton, em outro contra-ataque paranista.

No segundo tempo, o Paraná buscou o ataque desde o início, e chegou ao gol aos três minutos. Válber seguiu com liberdade no meio de campo e arriscou um chute de meia distância. A bola esbarrou no atacante Robson, que dominou, cortou o zagueiro Vílches e bateu no canto esquerdo de Wéverton. Aos 11 minutos, o zagueiro Zé Roberto cometeu falta em Vinícius, tomou seu segundo cartão amarelo na partida e foi expulso. Com um a mais, o Furacão partiu para cima do Paraná, mas sem conseguir abrir espaços na defesa adversária. O único lance de perigo, aconteceu aos 36 minutos, quando André Lima recebeu cruzamento de Walter e cabeceou no travessão. Na sequência, Cristóvão fez mudanças na equipe, que abdicou de seu sistema de jogo e partiu para o tudo ou nada, sem sucesso.

XERIFE: Mesmo com a derrota, o zagueiro Paulo André foi firme durante todo o jogo e não teve culpa na jogada do gol.

SONOLENTO: O destaque negativo fica para o atacante Crysan, que jogou durante todo o primeiro tempo e não foi bem. Jogando pela ponta, o atacante pouco apareceu pelos lados e também não se apresentou pelo meio, sendo inoperante na partida.

%ficha=1159%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Temos que repensar

Como sempre gosto de acompanhar às notícias sobre o CAP, e li que o uruguaio recém contratado, não será aproveitado neste ano no CAP. Então…

Notícias

Em busca dos pontos perdidos

A tabela do Campeonato Brasileiro e o sorteio das chaves tanto da Copa Brasil como da Taça Libertadores da América acabaram criando um cenário curioso…

Opinião

Só a vista por amor

Sou chato. Costumo dizer que já sou um velho faz uns vinte anos (e com o tempo só piora). Assim como boa parcela da torcida…