O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
12 mar 2016 - 7h59

Erro milionário

Se o Pará não tivesse se contundido, e sido substituído por Roberto. Se Roberto levasse a sério a tarefa de marcar o atacante adversário, ao invés de chegar sempre atrasado, mantendo uma distância de três passos de Élber nos dois lances de gol. Se Nikão respeitasse a camisa rubro-negra, que lhe deu a dignidade que nunca teve no atlético mineiro, na Ponte Preta, na Linense e nem mesmo no Ceará. Se cobrasse aquele pênalti com vontade e responsabilidade, sem mãos na cintura à espera da autorização…

Três hipóteses, cada qual com seu preço. Sem a preguiça de Roberto, teríamos segurado vitória, ido a nove pontos com a chance de sediar a final da Liga em casa, caso passássemos pelo fluminense, e seriam dois jogos em que poderíamos lotar a Baixada. Tomando por parâmetro a renda de R$ 546.824,46 contra o Criciúma, arrecadaríamos mais de um milhão de reais. Nos acréscimos foi embora a chance de ao menos terminarmos líderes do grupo, bastava um “simples empate”, dissemos. Enfrentaríamos o Internacional aqui e pelo menos meio milhão em renda estava garantido. Isso mesmo Nikão, teu chute fraco nas mãos do goleiro nos custou mais de R$ 500 mil reais, e a moleza do Roberto nos custou o dobro. Mas se analisarmos friamente já entramos em campo com um jogador a menos, pois até os 37 minutos do segundo tempo Marcos Guilherme mal encostou na bola.

Primeira Liga na Baixada só em 2017! Se passarmos pelo flamengo lá e chegarmos à final, o jogo será no Rio Grande do Sul (Internacional) ou novamente no Rio de Janeiro (fluminense). Velha mania de tornar tudo mais difícil…



Últimas Notícias

Notícias

Valeu, menino Rony!

Os olhos marejados não me deixavam apreciar o momento. A explosão em uma das maiores conquistas que já vivi, me faziam apenas ouvir um nome:…