O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
22 mar 2016 - 10h44

Mais do mesmo de novo?

Agora de cabeça fria e com a pressão arterial normalizada vamos tentar entender o que aconteceu.

Esse esquema 4-2-3-1 que a Espanha utilizou na copa de 2002 e depois aperfeiçoou para chegar ao título em 2010 e que hoje é utilizado por mais de 12 seleções mundiais, no nosso time não funciona, porque a característica e a falta de qualidade de nossos jogadores, sabota esse esquema que precisa de aproximação, triangulações e rapidez.

Nossos laterais são incompletos. Eduardo e Léo são dribladores, mas não sabem marcar e cruzam mal. Roberto é lento e Pará precisa de mais tempo para entrosar. Achei ele bom de drible, bom cruzamento e veloz, mas falta ainda alguma coisa para se firmar.

Nossa linha de zaga sofre de um problema crônico de mal posicionamento. Os zagueiros em linha e laterais quase sempre na direção das linhas da grande área, fechados pelo meio, por isso tomam tanta bola nas costas. Não sei se isso é uma orientação do esquema, pois desde o Milton mídia é assim.

Nos cruzamentos nossos zagueiros ao invés de se posicionar um em cada lado, há sempre um fora da pequena área e outro no meio da pequena área, por isso tomamos tantos gols de bola no segundo pau.

E de que adianta mandar os dois zagueiros para a área adversária se o aproveitamento deles nos escanteios é quase nulo e na volta são lentos demais?

Nossos dois volantes cabe um estudo. Otávio que é o mais habilidoso jogando de primeiro volante e o deivid que erra 99 % dos passes jogando de segundo volante? Otávio dá muitas viradas de bola, muito altas, que torna nossa saída lenta e dá tempo do time adversário se posicionar. Nenhum dos dois tenta uma saída para frente, um passe em profundidade e com rapidez para os meias. Preferem ficar naquele joguinho toca eu daqui que você toca daí para mim novamente sempre de lado, até que o time adversário aperta toma a bola e pega nossa zaga desprotegida de frente. Ontem aconteceu 3 vezes isso, com deivid, otávio e vilches.

Os 3 do meio, mg, vinicius e pablo. MG que seria o ponta se escondia atrás de vinicius embolando pelo meio e dava sinais com a mão para não passar a bola para ele e quando recebia de costas para a marcação devolvia rapidamente para os zagueiros. Pablo individualista jogava para ele. E vinicius está com algum problema, pois jogou com uma má vontade sem fim. Quando ele começou a entrar no jogo foi tirado.

Com esses 3 no meio a bola sempre chegava quebrada e quadrada para o Walter, que lutou muito, as vezes até contra 3 adversários, assim o cara se acaba.

Não adianta trazer técnicos e não darem liberdade para ele implantar um esquema, conforme as características dos jogadores que ele tem em mãos.

Se eu pudesse escalar com o time que temos, jogaria no 4-2-2-2 da Colombia, sacando o vilches, o deivid, o mg e o pablo.

Daria uma chance ao Cleberson ou ao Thiago Heleno junto ao Paulo André. Na frente da zaga Otávio e/ou Pereirinha, Barrientos ou Jadson.

Nas laterais Eduardo e Pará. Na meia Vinicius e Nikão(ou Sidcley se colocar a cabeça em ordem e abandonar a balada). Na frente Walter e/ou André Lima, Ewandro ou Giovanny.

Nesse esquema poderiam flutuar Nikão e André Lima junto ao Walter para confundir a zaga.
Precisamos definir um batedor de faltas e que isso aconteça não por antiguidade e sim por competência.

Vamos passar uns vídeos do maestro Baier mostrando como bater faltas de longe. Bola em curva,alta, caindo na linha da pequena área, contrária do batedor, para alguém cabecear no contra-pé do goleiro. Falta de perto não é força, é jeito.

As vezes vejo a mesma jogada repetida dezenas de vezes e sempre dando em nada, mas nunca parando de tentar. Quantos jogos houve dezenas de cruzamentos onde perdemos todos, mas a cada nova chance, dá-lhe outro cruzamento. Será que não tem ninguém que veja isso, ou as ordens dadas no vestiário não podem ser mudadas no campo, porque a ordem veio do dif?
Autuori errou feio ontem, mas a cada mudança sempre consultava o Pivetti que sendo funcionário antigo do clube, forjado pelo dif e pelo 4-2-3-1, compartilhava ideias engessadas.

Se Autuori não enxergar o óbvio, que alguns jogadores não deveriam nem ficar no banco de reservas, logo estará de partida também.

Emprestem as eternas promessas mg, deivid, pablo, hernani, por favor. Se nada for feito a freguesia será longa…



Últimas Notícias