10 maio 2016 - 16h49

Um ano depois, meia Ruy viveu o outro lado na decisão

Aos 27 anos de idade, o meia Ruy já enfrentou momentos de altos e baixos em sua carreira. No último domingo, viveu mais um episódio que ilustra bem como a trajetória dos jogadores de futebol é curiosa, combinando momentos de conquista e protagonismo e outros de fracasso e ostracismo.

Nascido no interior de São Paulo, Ruy sempre se destacou por sua habilidade. Começou a carreira nas categorias de base do Coritiba, mas pegou anos difíceis no clube e, em alguns momentos, teve questionada até mesmo seu futuro como atleta. Jogou no futebol de Rondônia e defendeu times como Maringá e Arapongas até chegar ao Operário.

Foi no tradicional time de Ponta Grossa que Ruy se encontrou. Brilhou no Campeonato Paranaense de 2015, liderando a equipe até a conquista de seu primeiro título estadual. O roteiro foi perfeito: com duas vitórias nas finais, o Operário impõs um placar agregado de 5 a 0 ao Coritiba, com uma vitória incontestável e levantou o caneco em pleno Couto Pereira.

Ruy estava lá. Mais do que isso: marcou gol na final, foi eleito o melhor em campo pela imprensa esportiva e o desempenho foi tão bom que lhe valeu um retorno ao próprio Coritiba. A trajetória indicava uma volta triunfal, finalmente com a chance de ser protagonista no clube que o revelou.

No futebol não há favas contadas. Logo no Campeonato Brasileiro, Ruy já precisou se acostumar a lutar contra o rebaixamento. O alívio veio apenas na última rodada, com o empate em casa contra o Vasco.

Outro lado

Mas foi o Campeonato Paranaense que reservou o outro lado da moeda para Ruy. Desta vez vestindo a camisa do Coritiba, viu seu time ser derrotado por 5 a 0 na soma dos resultados da final, justamente o mesmo placar que ajudou o Operário a construir no ano passado.

Antes do jogo, ele havia provocado os atleticanos em mensagens nas redes sociais e prometido a vitória: “Vamos calar esses m* falastrões, principalmente aquele lixo de goleiro que nos desrespeitou ontem!!! Pode ter certeza que vamos lutar até o último segundo e vamos ser campeão (sic)!!! Todos nós merecemos e vamos ganhar nem que seja preciso sair de lá pra uma ambulância mas vamos ganhar desses caras!!! Eles têm que saber que eles estão lindando (sic) com o Coritiba e vão nos respeitar nem que seja na porrada!!!"

Dentro de campo, não conseguiu cumprir a promessa. Novamente disputando uma final no Estádio Couto Pereira, desta vez Ruy estava do lado do Coritiba, vice-campeão por duas vezes seguidas em seus domínios.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…