15 jun 2016 - 22h27

Paulo André e Autuori lamentam desempenho da defesa

A defesa do Atlético teve uma noite para se esquecer nesta quarta-feira (15), na derrota por 3 a 2 para a Ponte Preta, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nos três gols sofridos pelo Furacão, a zaga teve influência direta, seja com falhas dos jogadores ou momentos de desatenção. O próprio zagueiro Paulo André e o técnico Paulo Autuori lamentaram a atuação do setor defensivo na partida.

No primeiro gol, aos dois minutos do primeiro tempo, Pablo, de cabeça, afastou mal bola dentro da área do Atlético e entregou na medida para Fábio Ferreira completar para o gol. O jogador da Ponte estava impedido na origem do lance, mas o árbitro interpretou a falha de Pablo como uma nova jogada e validou o gol da macaca.

Já no segundo gol, aos 16 minutos, Deivid foi driblado por Reinaldo, que na sequencia, deu um outro drible ainda mais desconcertante no experiente Paulo André. O lateral da Ponte não deixou de completar o lance para o fundo das redes e fazer um golaço. No terceiro gol, Wanderson tentou cortar bola do ataque da Macaca, mas acabou trombando com Wéverton, que, atrapalhado, tentou segurar a bola. No fim das contas, a bola acabou sobrando para Jeferson completar, aos 23 minutos da segunda etapa.

No fim do jogo, o zagueiro Paulo André avaliou o resultado e não deixou de mencionar a forma com que os gols da Ponte Preta aconteceram em cima da defesa atleticana: “A equipe buscou a vitória, mas os três gols aconteceram em momentos de desatenção da nossa defesa. Agora é trabalhar porque sábado já tem um jogo difícil contra o Santos”, explicou.

Já o treinador atleticano Paulo Autuori avaliou que o resultado só não foi positivo justamente por causa das falhas da defesa: "São falhas que não são normais para a nossa equipe. Não sofremos gols dessa natureza. Tentamos reagir, mas o jogo ficou resumido a maneira que sofremos os gols", explicou.

O próximo jogo do Furacão pelo Brasileiro já é no sábado (18), contra o Santos, às 18h00, na Arena da Baixada.



Últimas Notícias

Opinião

Um Athletico! Uma vida!

E lá se vão 49 anos. Isso aí, 49! Ano do Furacão! E como vivi esse Athetico! E como estou vivendo, feliz e não menos…