O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
29 jul 2016 - 14h45

Considerações

Sou de berço atleticano, logo, não tive escapatória, sou Furacão. Cresci e comecei a acompanhar o futebol na década mais vitoriosa do time, desde o acesso à primeira divisão em 95, passando pela seletiva da libertadores de 99, o Brasileiro de 2001 a vice-libertadores e vários paranaenses que ganhamos nesse meio-tempo. Eu conheci um Atlético vitorioso, que tinha na sua casa um caldeirão efervescido por uma torcida alucinada que representava não apenas o 12º jogador, mas o time inteiro.

Bom, minha intenção aqui não é alimentar o saudosismo alheio. Mas continuemos. Na nossa história recente, passamos de um time quase de várzea com uma nação de aficionados para os dias de hoje, quando continuamos com a mesma torcida em maior número e temos um clube com uma das melhores estruturas da América Latina.

Quaisquer que sejam nossas broncas (e temos muitas), temos que tirar o chapéu para o senhor Mário Celso Petraglia. Ele tomou a frente do Clube depois de tomarmos um baile do time golfinho, quando parecia tudo perdido e revolucionou nossa história com as conquistas listadas acima. Nisso pergunto, então devemos deixar o Tio Pet continuar trabalhando pelo ‘nosso’ Atlético? Realmente, não sei mais.

Veja bem, o MCP nos proporcionou uma realidade que até 94 nunca imaginaríamos. Ele trata o Atlético como uma empresa e fez (e faz) render muito. Mas esse ‘render’ se limita na parte patrimonial nos últimos anos. Passou-se uma década a mais daquela que chamei da mais vitoriosa do Rubro-Negro e o que tivemos? Dois míseros paranaenses e um vice da Copa do Brasil.

Honestamente, em questão de Clube, acho que o nosso presidente é o melhor para a função. Mas em questão de time, de jogadores, acho que já chegou a hora dele passar o taco. Temos um time ajeitado pra esse ano, talvez tenhamos um Brasileiro sem sustos, mas temos que querer mais, um crescimento a longo prazo que seja, mas que se concretize.

Por fim, tenho visto muita discussão de baixíssimo nível em todos os lugares quanto ao futuro da gestão do Atlético e estas são algumas considerações que faço sobre nossa maior paixão, cabe a nós levarmos tudo isso em conta e tantos outros aspectos que aqui não foram citados para nas próximas eleições votarmos pelo bem do Furacão. Enquanto isso, dá-lhe Atlético e seguimos de olho na diretoria.



Últimas Notícias

Opinião

A iminência

Já se sentiram na iminência de algo que poderia mudar suas vidas para sempre? Eu senti, recentemente, de uma maneira assustadora. Viagem de carro numa…

Fala, Atleticano

Generosidade?

Uma busca rápida no mais simples dicionário permite apurar que o conceito de “generosidade” remete à ideia de gentileza; de adoção de uma prática nobre…