19 fev 2017 - 18h24

Sallim dispara contra FPF após cancelamento de Altetiba

O presidente do Atlético Luiz Sallim Emed ficou muito irritado com o presidente da Federação Paranaense de Futebol Hélio Cury por causa do Atletiba que não aconteceu neste domingo (19), em partida que seria válida pela quinta rodada do Campeonato Paranaense. O dirigente atleticano disse que a bola não rolou por causa de uma decisão arbitraria de Cury e responsabilizou ele pela frustração da torcida que não pode assistir ao jogo.

O Atletiba não aconteceu porque a equipe que iria transmitir a partida pela internet não estava credenciada para entrar em campo. A FPF impediu que a transmissão continuasse até que os profissionais não credenciados seguissem dentro de campo, mas os dois clubes não acataram a decisão e ficaram dentro do gramado até que o jogo fosse definitivamente cancelado, cerca de cinquenta minutos depois.

Sallim disse, em entrevista à repórteres da TV CAP, durante a paralização, que a atitude da FPF terá projeção internacional e que os clubes estavam certos em seguir dentro de campo. “O seu Hélio Cury será responsável por isso que tá acontecendo aqui, nós não vamos sair. Não, infelizmente não chegamos a conclusão, é uma atitude arbitraria do presidente da FPF que está impedindo a transmissão. Ontem estive em um curso no Rio de Janeiro e o Campeonato Mexicano será transmitido no Facebook. Meu Deus, isso já está acontecendo, por que não acontece aqui? É uma decisão institucional do Atlético. É uma decisão do Hélio Cury que não tem a sensibilidade de sentir o que está acontecendo aqui. Ele está impedindo. Tanto o Atlético quanto o Coritiba não vão permitir que se impeça a transmissão, mas o juiz está obedecendo esta ordem de que não pode. A autoridade máxima do campo é o juiz, é uma obediência a uma ideia estreia, obtusa do presidente da FPF”, explicou, depois de tentar convencer o árbitro do jogo para que a partida começasse apesar da decisão da FPF.

Em seguida, o dirigente reclamou da emissora que detém os direitos de transmissão do Campeonato Paranaense e disse que os clubes não devem ficar “reféns” das emissoras. “Não da mais, basta. Não podemos ficar reféns de ideias estreias como está acontecendo agora, é uma vergonha mundial. Nós temos o direito de dizer não. Acho que tá no momento de a gente mudar, ter o direito de resposta, de tomar as decisões que são dos clubes, só existe futebol pelos jogadores, pelos clubes, não podem terceiros interferir no nosso mando. Eu vou ser excluído do futebol depois dessa, mas uma uso uma frase do Darcy Ribeiro” Eu perdi quando eu devolvi e defendi os índios, mas eu me sinto a vontade, e tenho pena de quem perdi”, finalizou.



Últimas Notícias

Opinião

E lá se vão 6 anos

O tempo passa. Completamos hoje 6 anos de Nikão no Athletico. Há exatos 6 anos recebíamos Maycon Vinicius Ferreira da Cruz, conhecido como Nikão. Quando…

Ao Sol e à Sombra

Caju

Dizem que onde o goleiro pisa, nunca mais cresce a grama. Mas no estádio Joaquim Américo, mesmo agora, com o gramado sintético, a grama é…

Fala, Atleticano

Pandemia x Pandético

Infelizmente em 2020 tivemos que conviver com esta pandemia, isolando jogadores e torcida, mas como reflexão sabemos que a cada dia que passa esta situação…