25 fev 2017 - 22h24

Empate e vaias na Arena

No sábado de Carnaval, o time do Atlético não entrou em sintonia, chegou a desperdiçar um pênalti e mais uma vez empatou no Campeonato Paranaense: 0 a 0 com o Toledo, na Arena da Baixada. O jogo, atrasado da segunda rodada, marcou o terceiro empate do Rubro-Negro, que ainda não venceu na competição. A atuação fraca do time não foi perdoada pelo torcedor, que vaiou a apresentação da equipe ao final do jogo.

Em campo, o que se viu foi um Atlético apático, sem conseguir impor seu ritmo diante do time do Oeste do Estado. O time ainda teve uma excelente chance de marcar, aos 20 minutos, quando Luis Henrique tentou dar uma cavadinha na cobrança de pênalti e o goleiro Leandro Alcacis conseguiu a defesa.

Com o resultado, o Atlético soma apenas três pontos e volta a campo na próxima quarta-feira (01), no clássico Atletiba válido pela 5ª rodada do Estadual.

O JOGO

Num primeiro tempo morno, o Atlético iniciou o jogo pressionando e criou chances aos 6’, no chute de Luis Otavio que a bola passou perto, e aos 11’, numa boa cobrança de falta de João Pedro que a bola passou por cima do gol. Aos poucos o Toledo foi gostando do jogo e chegou com perigo aos 30’, com Marquinhos que invadiu a área, bateu cruzado e a bola passou perto. Nos minutos finais o Atlético ainda se arriscou, na cobrança de falta de João Pedro que a bola passou perto, aos 39’, e seis minutos depois na finalização de Wanderson, de cabeça, quando a bola acertou o travessão.

No segundo tempo, o Toledo começou melhor e logo aos 2’, Rafael Bastos cobrou a falta e Felipe Virgulino tocou bem de cabeça e a bola passou muito perto da meta do goleiro Santos. A melhor chance atleticana foi no pênalti cobrado com displicência por Luis Henrique, que o goleiro defendeu. Nos acréscimos, aos 48’, o Toledo chegou a marcar com Jean Pablo, mas a arbitragem assinalou o impedimento e invalidou o lance.

%ficha=1228%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…