5 mar 2017 - 21h51

Conheça a U. Católica, próxima adversária do Atlético

O Club Deportivo Universidad Católica é um tradicional clube chileno sediado na capital do país, Santiago. Fundada em 21.4.1937, a equipe tem no currículo a conquista de 12 campeonatos chilenos, tendo sido a campeã nas últimas duas edições do torneio (Clausura/2015-2016 e Apertura/2016-2017). Antes disso, no entanto, a última vitória na competição havia sido no ano de 2010.

No âmbito da Copa Libertadores da América, o clube acumula 23 participações, tendo alcançado a semifinal em 3 oportunidades (1962, 1966 e 1969), e a final em outra ocasião, no ano de 1993, quando foi derrotada pelo São Paulo (BRA), que veio depois inclusive a se sagrar campeão mundial interclubes ao final daquele ano.

A Católica é um dos três maiores clubes de futebol de seu país, e tem como principais rivais outras duas grandes agremiações de Santiago: o Colo Colo e a Universidad de Chile, a “La U” – ambas, diga-se, mais antigas que a Católica, tendo sido constituídas, respectivamente, em 1925 e 1927.

No que tange à torcida, a Católica ocupa o terceiro posto entre as maiores do país. Uma análise realizada no ano de 2006 pelo “Estudio Chilescopio”, reconhecido instituto de estudo das tendências entre os chilenos, revela que a equipe atrai a adesão de cerca de 10% da preferência nacional, contra 26% da “La U” e 42% do Colo Colo.

Atualmente, a despeito de ter triunfado nos últimos dois campeonatos nacionais, a Católica não vem realizando uma boa temporada no Torneo Clausura 2016/2017. Ocupa a penúltima posição na competição (15º lugar), estando à frente apenas do Palestino, que tem 1 ponto ganho. Em 5 jogos disputados até aqui, a UC tem 3 pontos decorrentes de uma vitória na partida de estreia contra o San Luis de Quillota, uma modesta equipe do Vale do Aconchágua. De lá para cá, foram 4 jogos e 4 derrotas, sendo a última registrada no sábado para o Colo-Colo por 2 a 0, naquele que se chama “Clássico Albo-Cruzado”.

Em relação à última temporada, a Católica registrou uma importante baixa. O jogador Nicollás Castillo, que marcou 13 gols em 12 jogos, retornou ao clube que detém seus direitos econômicos (Club Brugge) e foi emprestado ao Pumas, do México. Isto certamente constitui um problema para o técnico Mario Salas, que conta também com o uruguaio Santiago Silva, ex-Corinthians e Boca Juniors, para o setor de ataque.

A má campanha no campeonato nacional aumenta a pressão da Católica na Libertadores. O time não poupou titulares no clássico e levou um passeio do Colo-Colo. Nas palavras do jornal El Mercurio, a vitória foi “contundente, categórica e incontestável”. O diário chileno resumiu o clima para a estreia contra o Furacão do seguinte modo: “As dúvidas são muitas. Os temores, enormes”.

Declínio

O declínio técnico do atual bicampeão chileno impressiona os jornalistas e preocupa os torcedores. A equipe parece não se acertar nesta temporada.

O técnico Mario Salas arma a equipe com uma linha de três defensores, quatro meio-campistas, dois pontas e um centroavante fixo. Em determinados momentos, altera o esquema para o 4-2-3-1. Santiago “El Tanque” Silva é o homem de referência no ataque – mas não marca um gol há 100 dias.

O meia-atacante Diego Buonanotte é um dos preferidos da torcida, mas também não passa por um bom momento. O nervosismo é tanto que o treinador Salas foi expulso nos dois últimos jogos.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…