9 abr 2017 - 20h07

Mais uma vez, Furacão leva a melhor!

Todo o favoritismo e o bom retrospecto do Paraná Clube na primeira fase do estadual não foram o suficientes para o Atlético. O Furacão segurou um empate sem gols contra o rival, dentro da Vila Capanema e está nas semifinais do estadual, aguardando o desfecho de Londrina e Rio Branco ou uma decisão no "tapetão", por causa do impasse envolvendo o J. Malucelli no torneio. No jogo de ida, o Atlético havia vencido por 1 a 0 com um gol de Eduardo da Silva. O próximo compromisso do Rubro-negro agora é na Libertadores, nesta quarta-feira (12), contra o Flamengo, no Maracanã.

O Paraná Clube iniciou a partida tomando a iniciativa e aos 11 minutos os mandantes quase abriram o placar. O jogador Renatinho invadiu a zaga atleticana e chutou com liberdade, mas a bola saiu pela linha de fundo. Logo aos 20 minutos de jogo, o argentino Lucho Gonzalez sentiu uma lesão na perna e foi substituído pelo jovem João Pedro.

O Rubro-negro se concentrou na defesa, recuou a marcação e o Paraná Clube seguiu pressionando, mas sem encontrar oportunidades claras de gol. O Atlético, por sua vez, também não achava uma boa oportunidade de contra-atacar. O Furacão depois até teve algumas chances de chegar ao ataque por bolas paradas, mas não conseguiu concluir e o primeiro tempo terminou sem gols.

O Atlético voltou mais esperto na segunda etapa e assustou os rivais algumas vezes. Aos seis minutos, Nikão marcou, mas o árbitro assinalou o impedimento. O Paraná Clube tentou investir outras vezes, mas foi cansando e o Furacão tomando conta do jogo aos poucos.

O Furacão chegava principalmente pelo lado direito, com cruzamentos de Gedoz e Rosseto. Em uma dessas jogadas, aos 25 minutos, João Pedro completou para o gol, mas Léo defendeu. Já aos 33 minutos, foi a vez do Paraná assustar e acertar a trave, com Alex Santana. Depois disso, o desespero tomou conta dos mandantes e o time se mandou ao ataque. Foram várias investidas, mas nenhuma que levasse real perigo à meta atleticana e o Rubro-negro eliminou o rival.

DESTAQUE POSITIVO: Rossetto. Mais uma vez, o atleta foi decisivo na marcação e fez bons passes no meio de campo.

%ficha=1239%



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…