27 abr 2017 - 2h07

"Domingo a chapa vai esquentar!", diz Weverton

Além do técnico Paulo Autuori, o goleiro Weverton também compareceu à entrevista coletiva no final do jogo contra o Flamengo, que terminou com vitória atleticana por 2 a 1 dentro da Arena.

Weverton comentou sobre a tranquilidade que o resultado dá a equipe nesse momento da competição. "Vencer o flamengo hoje era de fundamental importância, até pelo resultado de ontem. Então após essa vitória, o jogo na quarta-feira que vem contra o San Lorenzo praticamente vai nos dar a nossa classificação. A vitória foi importante, levanta a moral da equipe", disse.

Mas além da Libertadores, o goleiro também aproveitou para falar da final do Campeonato Paranaense, que terá sua primeira partida neste domingo (30), às 16h, contra o rival Coritiba na Arena. Para ele, este também é um momento de esquecer a competição internacional e focar no título. "Foi legal, foi bacana, mas domingo tem Atletiba e é aquela coisa, tem sentimento do torcedor, é um jogo que mexe com a cidade. Fizemos nosso papel, mas domingo a chapa vai esquentar! Vai ser um grande jogo aqui na Arena e vamos contar com o torcedor para nos incentivar", comentou. Para ele, a estratégia atleticana de usar praticamente dois times para as duas competições foi fundamental para que o Atlético alcançasse seus objetivos, mas disse que a equipe tem que se manter focada se quiser se manter no alto, pois ainda tem "muita coisa para acontecer".

Fora do campo, Weverton aproveitou para comentar os julgamentos que vem enfrentando no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) e criticou a forma como vem sido tratado. "Eu fico triste. Eu pego fila de banco, eu pago luz, pago energia, pago tudo, porque eu sou goleiro de seleção para mim não muda nada. Aí quando você chega no julgamento escuta “porque você é goleiro de seleção não pode xingar ninguém, não pode colocar a mão no ouvido", você tem que ser amém pra todo mundo. Eles têm que me tratar da mesma forma como cidadão. Eu não tenho regalias por ser goleiro de seleção, então chegar lá no tribunal e eles falam ‘pô, tu é goleiro de seleção tu tem que dar exemplo, tu tem que ser assim tem que ser assado", então quando eu chego para pagar a luz ninguém quer saber do meu exemplo, querem que eu pague se não eles vão cortar. Acho que eles têm que julgar dessa forma, pela minha atitude. O que eu fiz ficou bem claro. Naquele jogo contra o Paraná eu só apanhei, eu fui agredido, não agredi ninguém. Mas eles sabem o que fazem e espero que hajam com coerência, hajam da forma que tem que ser feito", criticou.

Mesmo com a presença sendo dúvida no domingo devido ao julgamento, o goleiro incentivou a torcida para que faça mais uma festa na Arena. "A gente tem que dar os parabéns para o torcedor, fizeram uma grande festa, fomos bem recebidos. Você vê o torcedor vibrante e você entra em campo com a mesma vibração. Espero que domingo eles venham da mesma forma, a gente quer ser campeão do paranaense", finalizou.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…