3 maio 2017 - 23h33

Mais um nocaute em casa

O Atlético foi derrotado por 3 a 0 pelo San Lorenzo de Almagro na noite desta quarta-feira na Arena da Baixada, pela penúltima rodada do Grupo 4 da Libertadores da América. A frustração da torcida foi maior porque uma vitória daria a classificação antecipada ao Furacão. Com a goleada sofrida, a equipe caiu da primeira para a terceira colocação do Grupo e precisará buscar um resultado favorável no Chile, diante da Universidad Catolica.

Assim como no jogo de domingo, o Rubro-Negro foi dominado pelo adversário em seus domínios e teve uma atuação muito ruim. Em nenhum momento o time apresentou um futebol de qualidade, criando chances apenas em jogadas isoladas.

As dificuldades foram reveladas desde o início. Nos dez primeiros minutos, o Atlético até teve mais posse de bola, mas não conseguiu criar chances. O San Lorenzo mostrou qualidades e começou a gostar do jogo. As 10, Zé Ivaldo errou no ataque e Cerrutti quase marcou. Aos 11, mais um chute perigoso de fora da área dos argentinos. E aos 13 saiu o primeiro gol do São Lorenzo. Após jogada ensaiada no escanteio, Rojas cruzou e Paulo Diaz cabeceou para o gol.

Depois de sofrer gol, o Atlético voltou a ter a posse de bola, mas isso revelou a fragilidade do time. Várias vezes as bolas sobravam para os zagueiros, que rodavam incansavelmente o jogo, sem qualquer objetividade. Quando arriscavam um lançamento, muitas vezes havia a interceptação. A melhor chance foi com Rossetto em um chute de fora da área uns 20 minutos.

Aos 33, a torcida perdeu a paciência e vaiou o time pela primeira vez na noite. Aos 36, o Atlético teve falta na entrada da área, mas Thiago Heleno bateu rasteiro na barreira.

Ficou ainda pior…

Com o desastre do primeiro tempo, Autuori mexeu no time logo no intervalo. Colocou Gedoz e Pablo, sacando Rossetto e Douglas Coutinho. No início, o time ainda teve alguns lampejos. Nikão e Gedoz arriscaram de fora da área, mas foi só.

Rapidamente o San Lorenzo se recompôs e voltou a dominar o Atlético. Aos 22, veio o balde de água fria: Belluschi fez boa jogada pela direita, cruzou para a área. Weverton ficou pregado, a bola atravessou a área e encontrou a cabeça de Blandi, que mandou para o gol.

Parte da torcida iniciou uma vaia, mas outros torcedores ainda acreditavam e aumentaram os gritos em favor do Atlético, esperando por um milagre que não veio.

O que já era ruim ficou horrível nos descontos. Botta recebeu de frente para o gol e chutou no canto, marcando o terceiro gol. Sem reação, a torcida atleticana aplaudiu o desempenho dos argentinos. Triste fim para uma noite que prometia ser de festa.

%ficha=1245%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…