4 maio 2017 - 9h11

Defesa se tornou o ponto fraco

A melhor defesa do Brasileiro 2016 ao lado do campeão Palmeiras, tendo sofrido somente 32 gols em 38 partidas virou pó. A coesão defensiva, grande trunfo atleticano que ajudou na classificação para a atual Copa Libertadores tem sido uma verdadeira dor de cabeça em 2017, escancarada com os 6 gols sofridos em casa nas últimas duas e decisivas partidas.

Desde os primeiros jogos do ano da equipe principal, frente o Millonarios e o Deportivo Capiatá essa situação ficou evidente. Se tomou só um da equipe colombiana, mas sofreu uma pressão imensa jogando fora, os 3 gols sofridos em cruzamentos na área diante dos paraguaios já acendiam o alerta defensivo.

Mas os erros ficaram evidentes na fase de grupos, quando mesmo quando venceu (San Lorenzo fora e Flamengo em casa) a equipe ficou extremamente exposta e sofreu um verdadeiro bombardeio dos rivais. E nas derrotas as falhas gritantes de posicionamento e os gols sofridos deixam claro que a vocação defensiva do time de Paulo Autuori vem sendo um fracasso.

O meia Lucho Gonzales comentou sobre isso na entrevista coletiva na noite de ontem, falando que é muito visível que o time, mesmo com vários jogadores marcando no campo de defesa, dá muito espaço e tempo aos adversários, permitindo que tenham melhor visão do que fazer e assim criem oportunidades, sufocando a defesa atleticana. Por outro lado, quando o Atlético tem a posse de bola, logo é acuado pelo adversário, não conseguindo criar oportunidades.



Últimas Notícias

Opinião

Adeus ano “velho”!

  Lembro-me como se fosse hoje dos sentimentos experimentados no último Réveillon. Onde momentos antes de iniciar a contagem para receber 2019, me peguei agradecendo…

Opinião

De que são feitos os ídolos?

Quando Marco Ruben vestiu a camisa atleticana pela primeira vez, já era um ídolo rubro-negro. Simples assim. E não se trata da famosa gringolatria. Alguns…