11 out 2017 - 21h28

Empacado!

Com direito a protesto do lado de fora da Baixada, o Atlético entrou em campo nesta quarta (11) tentando vencer o xará goiano, lanterna do campeonato, para continuar sonhando com uma vaga na Libertadores 2018.

Porém, novamente, o time de Fabiano Soares foi inconsistente e, depois de sair atrás no placar, até conseguiu a virada, mas perdeu chances e recuou demais, cedendo o empate e não conseguindo reagir. O resultado de 2 a 2 desagradou o torcedor, que vaiou a equipe após o apito final.

Correndo atrás do prejuízo

O Rubro-Negro começou a partida indo para cima do Dragão, levando perigo à meta de Marcos logo no início, em arremate de Fabrício. Logo depois, Ribamar aproveitou o erro na saída de bola adversária e chutou para nova defesa do goleiro. Pouco mais tarde, mais uma vez o camisa 9 parou no goleiro e a pressão continuou até os 21’/1º, quando William Alves meteu a mão na bola e o árbitro marcou pênalti para o Atlético. Mas Felipe Gedoz desperdiçou a cobrança e, dois minutos depois, Luiz Fernando aproveitou a sobra e abriu o placar para o Dragão. O Furacão reagiu e conseguiu o empate aos 31’/1º, com Guilherme, que aproveitou cruzamento da direita e cabeceou para o gol. O lance gerou muita reclamação dos jogadores do Dragão, que afirmaram que a bola não entrou. Em seguida, após boa jogada trabalhada pela esquerda, Guilherme recebeu na entrada da área e arriscou de primeira, aos 37’/1º, acertando a trave depois de desvio de Marcos. E aos 44’/1º, Lucho González fez de cabeça o gol da virada, após cobrança de escanteio.

A mesma postura; o mesmo resultado

Na etapa final, o Rubro-Negro voltou a utilizar a fracassada estratégia de acalmar o jogo e adminsitrar a vantagem. Com isso, o Atlético-GO foi em busca do empate, mas sem grande efetividade. Aos 7’/2º, Niltinho tentou cruzamento e quase enganou Weverton, que conseguiu se recuperar no lance e fazer a defesa. Fora isso, nenhum lance de perigo ocorreu por vários minutos e nem mesmo as substituições feitas pelos treinadores surtiram algum efeito. As do Atlético, aliás, foram bastante criticadas pela torcida. Inoperante, o Furacão viu a vitória e a chance de se reaproximar do G6 ir por água abaixo aos 36’/2º, quando Walter recebeu cruzamento da direita e desviou com o pé esquerdo, matando Weverton no lance e dando números finais ao placar. O ex-atleticano não comemorou o gol e ainda saudou a torcida rubro-negra, de maneira respeitosa.

Após o apito final, os pouco mais de 7.500 torcedores presentes no estádio (o pior público do Atlético neste Brasileirão e o terceiro pior na temporada), insatisfeitos, vaiaram a equipe na saída de campo.

OS GOLS:
0x1 – 24’/1º: Luiz Fernando – Após cruzamento da direita, a zaga atleticana afasta mal e a bola sobra nos pés de Luiz Fernando, que domina e chuta para o gol.
1×1 – 31’/1º: Guilherme – Lançamento da direita e Guilherme testa para o gol. Marcos chega a defender, mas a arbitragem diz que a bola já tinha entrado.
2×1 – 44’/1º: Lucho González – Em cobrança de escanteio, a bola passa por toda a pequena área e sobra para Lucho, sozinho, cabecear para o fundo das redes.
2×2 – 36’/2º – Walter – Cruzamento da direita e o "gordinho" consegue desviar com a ponta do pé esquerdo, matando Weverton na jogada. Respeitoso, Walter não comemorou o gol e saudou a torcida atleticana depois de empatar o jogo.

PRÓXIMOS JOGOS: São Paulo (fora), Vitória (fora) e Sport (casa).

%ficha=1279%



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…