24 out 2017 - 11h54

Atlético e Governo fecham parceria por biometria

O governador Beto Richa assinou nesta segunda-feira (23), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, contrato da Celepar com o Clube Atlético Paranaense para prestação de serviço de biometria no Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada). O sistema é pioneiro e amplia a segurança nos jogos e em grandes eventos realizados no estádio.

A ferramenta é mais ampla do que a simples identificação de sócios. O serviço disponibilizado pela Celepar é uma plataforma que, sem descuidar da privacidade dos cidadãos, interliga as catracas do estádio – ou outros locais de eventos e shows – aos bancos de dados do Detran e do Instituto de Identificação do Paraná. “Mais uma vez o Paraná dá exemplo ao Brasil”, disse o governador.

O serviço prestado pela Celepar é fruto do projeto Biometria nos Estádios e Grandes Eventos. A iniciativa envolve, por convênio, o Tribunal de Justiça do Paraná, Secretaria de Estado da Segurança Pública, Instituto de Identificação do Paraná, Detran e a própria companhia.

Com o sistema é possível, por exemplo, obter informações referentes a mandados de prisão em aberto ou proibições de frequentar determinados lugares. O tempo médio de autenticação aferido é dois décimos de segundos.

Todo o torcedor que não possua CNH e RG emitidos no Paraná necessitará fazer o cadastro biométrico antes de adquirir o ingresso. A regra vale para a torcida do Atlético e da equipe visitante.

PIONEIRO – O Atlético foi pioneiro em utilizar a base hospedada na Celepar para controle do acesso do público ao estádio Joaquim Américo. O sistema começou a ser utilizado em julho de 2016.

Para o presidente do Conselho Administrativo do Clube Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed, essa parceira com o Governo do Paraná vem atender os anseios da sociedade. “As pessoas querem um ambiente de mais harmonia e alegria nos estádios, mas com segurança. Essa iniciativa é uma verdadeira demonstração da celeridade nos processos e parcerias com o setor público”, disse.

O presidente da Celepar, Jacson Leite, diz que essa interação com o clube Atlético Paranaense é uma evolução para melhorar a vida do cidadão. Ele disse que já foi sinalizado o interesse de outros clubes em realizar uma parceria para implantar o serviço biométrico, inclusive de outros estados.

VIOLÊNCIA – Uma das idealizadoras da iniciativa, a vice-presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargadora Lídia Maejima, explicou que a iniciativa nasceu da preocupação com a violência nos estádios. “Com essas providências teremos condições de fazer com que as famílias possam voltar a frequentar esses eventos, já que toda a pessoa com antecedente criminal, ou medida restritiva, terá ressalvas para participar de jogos nos estádios”.

“O cadastro pode ser feito no dia do jogo, mas para agilizar o processo e evitar filas no estádio, é recomendável que seja feito antecipadamente”, afirma o diretor de Operações do Atlético, Fernando Volpato.

GOVERNO DIGITAL – Os bancos de dados da Celepar têm cerca de 8 milhões e 600 mil cadastros biométricos para melhorar a qualidade da segurança e os serviços do Detran no Paraná. Além disso, atualmente possui 16 apps desenhados para tablets e smartphones que facilitam a vida das pessoas e desburocratizam os serviços públicos estaduais.

“Estamos buscando mais transparência, otimização dos serviços e racionalização dos recursos, na medida que usamos a tecnologia da informação em todas as áreas do governo”, destacou o governador.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita; o diretor-geral do Detran, Marcos Traad; o diretor do Atlético Mauro Holzmann (Comercial e Relações Institucionais); o vice-diretor do Instituto de Identificação do Paraná, Maurício Jorge Lopes; procurador de Justiça, Ciro expedito Scheraiber; e o vereador Zezinho Sabiá.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…