11 nov 2017 - 20h02

"O coletivo fez diferença", diz Fabrício

Após a vitória contra o Botafogo por 1 a 0, nesse sábado (11), no Rio de Janeiro, o lateral Fabrício conversou com a imprensa e analisou a partida.

Com um gol de Guilherme ainda no primeiro tempo, o time sobre segurar o placar e teve uma boa organização em campo. "Se você não tomar gol, tem grandes chances de ganhar. Vínhamos atacando sempre, dando campo, hoje fizemos diferente, saímos mais no contra ataque, marcando forte. Nossa linha de 4 estava bem compacta", analisou. "O coletivo fez diferença. Quando o Ribamar dá pique lá na frente, marca forte, a bola vem mastigada pra tirar ela e não fica limpa pro adversário. O conjunto vale mais que o defensivo, quando um dá pique na frente a gente corre aqui também pra não dar espaço", explicou.

Sobre as próximas partidas, o lateral ainda disse que a correria de viagem quase não dá tempo de treinar, apenas relaxar e estudar o adversário. "Jogo um em cima do outro, não tem mais tempo de treinar. Só tempo de se recuperar, estudar o vídeo e jogar. O tempo tá muito curto, tem que descansar bem, colocar as pernas pro alto que quarta tem mais", disse.

Tendo a Ponte Preta como próximo adversário e ainda numa situação ruim no campeonato, Fabrício também disse que ninguém quer deixar o outro time sair da zona de desconforto, mas garantiu: "Independente temos que fazer um grande jogo, somar ponto e sair firme".

Já sobre os desfalques e a relação de jogadores, o camisa 8 revelou que o treinador gosta de deixar todos da equipe preparados. "O Fabiano gosta de trocar jogadores, ele nem nos avisa, avisa em cima da hora pra todo mundo estar preparado. Se montar antes um fica desanimado ou relaxa, então assim o cara fica ligado e quando tiver a chance vai fazer uma boa partida", contou.

Já sobre a ausência de Gedoz e Nikão, que hoje foram bem substituídos, Fabrício finalizou elogiando os companheiros e afirmou que todos têm que estar preparados para entrar em campo e jogar bem.



Últimas Notícias

Notícias

Valeu, menino Rony!

Os olhos marejados não me deixavam apreciar o momento. A explosão em uma das maiores conquistas que já vivi, me faziam apenas ouvir um nome:…