18 jan 2019 - 17h34

Um salto para o futuro, por Rogério Andrade

Definitivamente, de fato e de direito, entramos no túnel do futuro. Hoje, somos um só Athletico, com novos traços, novos planos e novos sonhos. E de uma vez por todas, não há mais motivos para pensar pequeno.

Não há como dissociar a caminhada histórica do Furacão com o ano ao qual acabamos de nos despedir. Não, 2018 não volta mais. Ah, mas como seria bom reviver alguns bons momentos, mesmo que fosse um pedacinho de 2018 neste novo que acabamos de encontrar. Eu queria viver apenas uns 10 ou 15 minutos de jogos grandiosos do campeonato brasileiro ou então viver uns 5 minutos da decisão mais importante da história do nosso clube. Sim, dessa decisão, apenas 5 minutinhos, mais que isso o coração já começaria a me dar sinais de palpitações perigosas.

Mas não dá! 2019 não me emprestaria nem alguns segundos para que eu pudesse reviver esses “pedacinhos” de felicidade. Pedaços que ficarão eternizados dentro do nosso peito, por muitos e muitos anos. E mesmo que venham (e virão) outras e outras conquistas, este título das Américas foi mais do que especial, pois traduziu, do início ao fim, a trajetória da nossa história Rubro-Negra.

Preocupações, angústias, dificuldades, euforia, lágrimas, sonhos. O athleticano sempre foi movido por isso. Nem os caminhos mais sofridos nos fizeram desistir. Como não ouvir até hoje a “paulada” naquele travessão de Barranquilla? E como não lembrar do seu vizinho de cadeira desolado, naquele pênalti aos 6 minutos do segundo tempo da prorrogação. Ah amigos, coisas de torcedor da Baixada, não há como explicar em algumas linhas.

Chego a pensar, sozinho e reflexivo, que não sei bem ao certo o que aconteceu naquela noite de 12 de dezembro de 2018. Sério mesmo, acreditem. Retomo a consciência e refaço exatamente os passos que me levaram até a Arena. Tento encontrar todas as respostas, mas por muitas e muitas vezes nem ao certo sei quais são as perguntas.

E de todas as possíveis perguntas, eu lembro da maior das respostas, dada por Thiago Heleno, na “bomba” que nos transformou em campeões. Fim da angústia! Realização de um sonho! Uma respiração ofegante, deliciosa e aliviada. Uma lágrima, que de pavor, passou a ser de pura emoção. Não foi possível controlar, nem os braços, nem os abraços, nem os passos.

Um coração que quase saltou do peito.

Um Athletico que saltou para o futuro!

Feliz 2019! Podem soltar o sorriso, a Furacao.com voltou!



Últimas Notícias