7 mar 2019 - 23h32

Athletico perde para Tolima na estreia da Libertadores 2019

Foi longe, muito longe daquilo que a torcida atleticana esperava. 83 dias depois da histórica e heroica conquista da Copa Sul-Americana, o time principal do Athletico enfim voltou a jogar, mas a estreia na Libertadores da América foi com derrota: 1 a 0 para a Tolima, na noite desta terça-feira (05), no estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, Colômbia.

O gol do jogo veio num rebote do goleiro Santos: aos 29 minutos do primeiro tempo, Luis González cobrou falta na área, Marco Péreza cabeceou e Santos fez a defesa, mas no rebote Banguero mandou para o fundo das redes.

Com a derrota, o Athletico é o lanterna do Grupo G – no outro jogo da chave, Jorge Wilstermann e Boca Juniors empataram por 0 a 0, na Bolívia. Agora, a sequência de três jogos em casa vira a principal estratégia atleticana para reverter esse cenário: enfrenta o Jorge Wilstermann (dia 14 de março), Boca Juniors (dia 02 de abril) e o Tolima (dia 09 de abril), todos na Arena. Depois, encerra a fase de grupos com dois jogos fora: dia 24 de abril, na altitude de Cochabamba contra o Jorge Wilstermann; e dia 09 de maio, contra o Boca, na La Bombonera.

Derrota didática

Se por um lado, a imprensa “culpou” a falta de ritmo de jogo para o revés na Colômbia – foi o primeiro jogo oficial do time principal este ano, que vinha de apenas dois amistosos – o técnico Tiago Nunes preferiu apontar as lições que a derrota traz e elogiou a postura do time em parte do jogo.

“Colocar [a derrota] na conta do ritmo de jogo não é o mais justo. Naturalmente faz falta mais jogos, mas poderíamos ter um melhor rendimento”, disse. “Demoramos para encaixar e na bola parada eles acabaram construindo a vitória. São situações que vamos corrigir e que serve como aprendizado e lição importante para os jogos que se aproximam”, completou.

Apagão inicial, bola na trave, mas derrota na Colômbia
Em campo, o Athletico começou controlando bem a partida e se movimentando de forma consciente no ataque. Mas logo nos minutos iniciais, a contusão de Madson obrigou o treinador a improvisar Zé Ivaldo na lateral direita, opção que não deu certo., criando muitos espaços, que o Tolima soube aproveitar.

Antes mesmo do gol, o time da casa já tinha criado uma chance com González, mas abriu o marcador aos 29’, com Banguero.

No segundo tempo, o Athletico teve boas chances de empatar: logo aos 3 minutos, após jogada de Rony e conclusão de Marco Ruben aparece, o goleiro Montero defendeu com o pé e no rebote a bola bateu num defensor e acertou a trave. O time ainda marcou dois gols, bem anulados pela arbitragem: aos 20’, com Thiago Heleno, e aos 25’ com Marcelo Cirino, ambos em posição de impedimento.

O Tolima levava perigo no contra-ataque, com Mostacilla aos 6’, Pérez aos 16’ e Balanta, já nos acréscimos. Rony, aos 44’, também teve a chance do empate, mas o goleiro Montero fez boa defesa.

Próximos jogos (time principal): Jorge Wilstermann (Arena), Boca Juniors (Arena) e Deportes Tolima (Arena)

Assuntos: |


Últimas Notícias

Torcida

De painel em painel

O ano era 2005. Ainda não havia, na televisão, tantas transmissões de campeonatos de futebol de outros países como hoje. Embora os grandes portais de…