25 mar 2019 - 0h00

Cornetando

Sábado, 23/03, fim de tarde, Baixada fria, teto aberto, CAP 2 x 1 Foz, Marquinho artilheiro da equipe, classificação antecipada, Foz rebaixado. Na realidade, a torcida esperava mais. Com isso alinhado, resta cornetar.

O rebaixado
Assistindo o jogo fica fácil entender a situação do Foz: só vontade a equipe das cataratas. Não há um único destaque técnico na equipe.

Um novo “Paulo André”
Pelo lado atleticano, jogo após jogo, Lucas Halter se mostra técnico e seguro, erra muito pouco nas tomadas de decisão, inicia bem as jogadas e ainda faz gols.

Khellven
Velocidade, talento, intimidade com a pelota. Também se afirmando como promessa. Para seu azar, passou a bola pro árbitro, na origem do gol do Foz. A partir do erro, sumiu no jogo, não acertou mais nada.

A figura nula
Honestamente, lembrei que Bill estava em campo quando ele foi substituído.

O motor da molecada
Desde 2013, não via um atleta pela esquerda que chamava tanto o jogo. Menino Vitinho, desarma, inicia, dribla e finaliza. É o motor desses time.

O pai da piazada
Marquinho, muita desconfiança no primeiro turno, isso que se viu. Com o passar dos jogos e treinos, mudança de posicionamento e eis que surgiu um meia atacante. Na bola parada, na cadência, na articulação, o capitão orienta os garotos e é cada dia mais o dono do elenco.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Show e alguns argentinos

ESQUENTA A noite começou do jeito que o athleticano gosta: Festa, Bandeirão, Cantoria e Bateria, infelizmente fora do Estádio. #LIBERAABATERIAPETRAGLIA. VOLTA DA FELICIDADE Entendo quem…