12 abr 2019 - 8h30

Soy Paranaense: a história da música do Furacão das Américas

♫ Soy Paranaense, soy brasileiro
E nunca me engano!
Soy El Furacón da América
E nunca me engano! ♫

A dica chegou pelo Twitter da @furacaocom. O atleticano William Szinke avisou que uma música em espanhol em homenagem ao Paranaense estava circulando em grupos de WhatsApp e nos lançou o desafio: “conseguem descobrir quem produziu? Poderiam fazer uma matéria sobre isso”.

Missão dada é missão cumprida. Lançamos um anúncio atrás dos autores. Recebemos algumas dicas (algumas furadas…), entramos em contato com os responsáveis e desvendamos o mistério.

É essa a história que a gente conta agora, 14 anos depois da gravação e em plena disputa da Libertadores. Soy El Furacón da América e nunca me engano!

El Paranaense da América

Os mais novos talvez custem a acreditar, mas até há algum tempo o Athletico era um clube de alcance nacional. Havia feito poucos jogos internacionais, não era tão conhecido no exterior.

Isso mudou em 2005, quando o Furacão fez uma Libertadores fantástica. Um a um, foi derrubando adversários de prestígio, jogando com muita raça tanto na Arena quanto em outros campos históricos. O Furacão já havia disputado duas Libertadores antes (2000 e 2002), mas foi em 2005 que surgiu para valer El Paranaense, a partir de como os demais latino-americanos passaram a se referir ao clube.

Não havia volta: o Athletico não era mais um clube brasileiro; agora estava entre os grandes do continente. Os limites foram ultrapassados e nos tornamos um time latino-americano – o que se consolidou nos anos seguintes, com a disputa de outras competições internacionais e a conquista da Copa Sul-Americana 2018.

Brasil e América Latina

Foi aí que surgiu a ideia de registrar para a história esse rito de passagem. O publicitário Nelson Fanaya Filho se inspirou em uma canção antiga, dos anos 70, e adaptou a letra para a realidade atleticana. Foi atrás de dois produtores atleticanos, Rodrigo Machado e Lelo Penha, que buscaram os músicos para arranjo, voz e instrumentos. A gravação foi feita nos estúdios da produtora Underdog.

A música original de Zé Rodrix (Soy Latino Americano) é uma das preciosidades da MPB. Não por acaso, é do mesmo ano em que Belchior lançou “Apenas um Rapaz Latino-Americano”. Era um momento histórico em que se percebeu a existência de uma cultura latino-americana e que o Brasil fazia parte dela. A experiência brasileira não estava limitada pelo idioma distinto, mas tinha muitos pontos em comum com os hermanos latino-americanos.

Essa relação entre Brasil e América Latina não é diferente no futebol. Parece claro que o “futebol brasileiro” é algo bem distinto do futebol argentino, uruguaio, colombiano e mexicano. Mas em oposição ao futebol europeu, é possível encontrar similaridades na forma de jogar dos latino-americanos. Como escreve José Miguel Wisnik, “temos aí uma relação similar à de “irmãos” não explicitados, personificados em estados-nações, agarrados aos respectivos pontos fortes e falhos, exercitando-se na rivalidade por meio de uma relação mal confessada e ambivalente de amor-e-ódio, para a qual o futebol oferece, mais uma vez, o melhor campo de provas”.

A sacada de Zé Rodrix (coincidentemente, também um publicitário) inspirou Nelsinho Fanaya, que captou o momento do El Paranaense e a conquista da América. A ideia foi fazer uma paródia em “portunhol”, em ritmo de salsa e muitos efeitos sonoros – há até uma execução incidental do hino oficial do Athletico. A música foi tocada em jogos na Arena da Baixada naquele ano. Lamentavelmente, o próprio estádio foi impedido de receber a grande final pela Conmebol.

Passados 14 anos, a canção reapareceu em um momento em que o Athletico disputa uma Libertadores da América e desafia novamente seus limites. Bons presságios? Esperamos que sim, Afinal, quem é Paranaense não vive preocupado e nunca se engana.

 

Soy Paranaense

Yo soy Paranaense
E no vivo preocupado
Mucha gente me pregunta
Como que yo faço esto
Minha paixão me ajuda
A torcer desesperado
El Furacão jugando
E a gente torcendo
E cantando assim:
Soy latino e atleticano
E nunca me engano!
E nunca me engano!
E nunca me engano!
Soy Paranaense, soy brasileiro
E nunca me engano!
É legal torcer em casa
E para a Arena vou correndo
O Calderón me espera
E vai estar ferviendo
Yo, que não me canso nunca,
Pro meu time vou torcendo
Ajudo o Furacón gritando,
Vibrando e cantando assim:
Soy latino e atleticano
E nunca me engano!
E nunca me engano!
Soy latino e atleticano
E nunca me engano!
Soy Paranaense, soy brasileiro

E nunca me engano!
Soy El Furacón da América
E nunca me engano!
Soy Paranaense, soy brasileiro
E nunca me engano!
Soy latino e atleticano
E nunca me engano!
E nunca me engano!
Soy Paranaense, soy brasileiro
E nunca me engano!
Soy El Furacón da América
E nunca me engano!

Ficha técnica:
Versão: Nelson Fanaya Filho
Produção: Rodrigo Boehl Pinheiro Machado e Lelo Penha
Produtora: Underdog Original Music
Voz: Cyro Ridal
Ano de produção: 2005

Assuntos: | |


Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Furacão na berlinda

Falta comando e cobrança no futebol, o time é preguiçoso e descomprometido. Também falta planejamento, ficam os três primeiros meses sem jogar e consequentemente chegam…