22 abr 2019 - 10h23

O saldo do Campeonato Paranaense 2019

Terminou mais um Campeonato Paranaense. O Athletico conquistou o bicampeonato utilizando o time de Aspirantes. Com o passar dos anos, essa estratégia se consolida cada vez mais como uma excelente maneira de promover, principalmente, a revelação de novos atletas.

Além disso, serviu também para recuperar o futebol de alguns atletas, aprimorar a forma física e fazer vitrine para negociações. Isso tudo fortalece o mercado futebolístico do clube e também o time principal.

Houve a oportunidade de testar diversos jogadores durante este certame. Alguns podem ser aproveitados na temporada no time principal, outros negociados e emprestados. Alguns até já foram embora.

Negociações

Existem conversas a respeito de negociações que envolvem empréstimos de jogadores (Matheus Anjos, João Pedro, Vitinho e Demethryus) ao Paraná Clube. Essa negociação envolveria o jogador Jhonny Lucas, do Paraná, que já teve sondagens da Europa. A proposta é promissora, visto que envolveria uma participação nos direitos do atleta. Seria vantajosa aos dois clubes, pois uma futura venda do atleta resultaria em um lucro alto. O Paraná Clube utilizaria a vitrine mais ampla que o Furacão possibilita para valorizar o jogador e ambos lucrarem com isso. De quebra, o Furacão emprestaria esses atletas para pegarem mais rodagem e experiência, ajudando em qualidade técnica o clube na Série B.

Quem se destacou

Este Campeonato Paranaense 2019 iniciou um novo ciclo dos Aspirantes. Muitos jogadores que participaram da competição haviam jogado a Copa SP de futebol Júnior. Khellven, lateral-direita que bateu o último pênalti da final, nasceu em 2001, ano do título brasileiro. Estava no time da Copinha, junto com Jáderson, Christian, Lucas Halter, Bruno Leite, Demethryus e Vitinho. Todos esses jogaram também o Paranaense. Estão no início de suas trajetórias. É preciso ter calma, paciência na avaliação.

Além destes, cabe citar também a ótima participação do jovem Gabriel Poveda, que veio por empréstimo do Guarani. Foi fundamental no último clássico Atletiba, dando assistência e por pouco não marcou na final contra o Toledo, além de outras boas, porém curtas, participações na competição. Tem apenas 19 anos.

Outros rumos

Em relação aos atletas que seriam “testados” nos Aspirantes, foi válida a experiência para avaliar com quem o Athletico pode contar na temporada. Bergson não tem a qualidade necessária para o atual nível de futebol que o Furacão disputa. Deve ser negociado.

Marquinho já revelou que não irá permanecer. O clube o ajudou muito em sua recuperação, e ele retribuiu com boa participação no Estadual. Que seja feliz em sua carreira. Erick se firmou como um jogador constante, de intensidade e tem a qualidade “box-to-box”, finalizando bem a gol. Deve ser muito aproveitado no time principal, assim como Léo Cittadini. Bons reforços!

O título do Campeonato Paranaense é uma taça. Mas a torcida atleticana ganhou muito mais.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Generosidade?

Uma busca rápida no mais simples dicionário permite apurar que o conceito de “generosidade” remete à ideia de gentileza; de adoção de uma prática nobre…