16 maio 2019 - 21h44

Pijaminha incômodo

Não foi desta vez que o Athletico conquistou a primeira vitória fora de casa na temporada. Voltando a enfrentar o Fortaleza no Castelão, desta vez no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, o time de Tiago Nunes fez um bom primeiro tempo, mas não conseguiu converter a superioridade em vantagem no placar. Na segunda etapa o Leão equilibrou as ações, o que deixou o jogo morno e sem grandes oportunidades de gol. Ao final, o 0 a 0 refletiu bem o que as equipes fizeram dentro de campo.

Pressão inicial não resultou em gols

Calejado depois de sofrer um gol logo aos 2′ no embate contra o Tricolor de Aço pelo Campeonato Brasileiro, o Furacão entrou ligado e com a marcação alta, impedindo os avanços do time de Rogério Ceni, que tentava avançar com bolas longas pelas laterais, sem nenhuma efetividade. Controlando bem o jogo, o Athletico criou as melhores oportunidades de gol do primeiro tempo: uma num voleio de Marco Ruben, aos 28′, que o goleiro defendeu e outra num chute de longa distância de Rony, aos 38′, que passou rente ao travessão. A única chance do Fortaleza saiu num contra-ataque, aos 29′, quando Romarinho passou por Paulo André e invadiu a área atleticana, mas Wellington chegou bem na recuperação e mandou para escanteio.

Queda de rendimento na segunda etapa

No segundo tempo o Fortaleza voltou melhor e equilibrou as ações, aproveitando o aparente cansaço do Athletico, que diminuiu o ritmo. Com isso, a partida se tornou enfadonha e sem grandes emoções. A melhor chance da segunda etapa foi do Fortaleza, num lance aos 15′ em que Marlon chegou livre na área, mas bateu para fora. Nem mesmo as alterações promovidas pelos técnicos foram capazes de alterar esse panorama. Pelo lado do Furacão, Tiago Nunes colocou Léo Cittadini no lugar de Lucho González na vaga de Nikão. No final da partida, sacou Marco Ruben para a estreia de Thonny Anderson com a camisa rubro-negra. Mas a pouca criatividade de ambas as equipes decretou o empate sem gols na Arena Castelão. O Furacão segue sem vencer fora de casa na temporada. Em entrevistas na beira do campo, vários jogadores culparam o calor da capital cearense e a sequência de jogos pela queda de rendimento.

Matemática da classificação

Com o empate, o Athletico precisa vencer o jogo de volta por qualquer placar para avançar às quartas de final da Copa do Brasil. Outro empate, independentemente do placar, leva a decisão para os pênaltis. A partida decisiva ocorre no dia 5 de junho, às 19h15, na Arena da Baixada.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Furacão na berlinda

Falta comando e cobrança no futebol, o time é preguiçoso e descomprometido. Também falta planejamento, ficam os três primeiros meses sem jogar e consequentemente chegam…