O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
20 maio 2019 - 15h22

Qual a nossa prioridade?

À Libertadores, Copa do Brasil, Brasileirão, Recopa, Copa Suruga. Qual destes campeonatos ou decisões é ou são as nossas prioridades. Certamente o jogo contra o Corinthians é que não foi com certeza, perder três pontos de graça, é muita falta de visão ou de projeção para o futuro da temporada ou de conquista de campeonato.

As justificativas para ficarem poupando um grupo de jogadores que até o momento entraram em campo para jogos oficiais, foram exatamente, caso não esteja enganado, nove vezes. E pelo andar do discurso, será mais algumas vezes isso no Brasileirão e alguém já se perguntou, se caso começar a perder mais do que ganhar e não conseguir nada nos outros campeonatos.

Para mim, poupar jogadores desta forma, seria somente se tivéssemos disputando título na Libertadores e Copa do Brasil, com as exceções de Recopa e Copa Suruga que é disputa de título e troféu, nas outras acredito que seria legal mandar para campo o time titular do “principal” como gostam de falar, inclusive no Brasileirão, pois, para mim Clube Athlético Paranaense é um só, é uma única equipe, e por isso eu não vejo está distinção como um fator positivo e sim negativo.

Tanto é negativo que ontem jogou no gol o Caio que nem no grupo de Aspirantes jogava, caso não falhe a minha memória, e pior ainda, ficou evidente a falta de Marquinhos (principalmente), de Bergson, de João Pedro e Matheus Anjos no jogo de ontem contra um Corinthians fraco e que é coisa rara de acontecer. Jogaram o tempo inteiro na retranca e conseguiram a vitória pelos erros do Caio do que pelas virtudes de seus atacantes.

E ainda pergunto ao Tiago Nunes. E o Léo?

Pois seria o substituto imediato de Santos no gol, mas para surpresa de muita gente, apareceu no gol o Caio que é a terceira opção de banco porque tem no grupo de jogadores mais um goleiro. O Gabriel que está como segundo na lista dos relacionados por Tiago Nunes contra o River Plate pela Recopa. Só que não responde ainda a pergunta. E o Léo?

Foi emprestado, vendido, está no estaleiro do CAT, saiu do clube como o Bergson, por rescisão contratual. Porque à lógica apontaria para o Léo escalado para o jogo de ontem ou no mínimo o Gabriel como aparece como segundo do Santos. Só que nada disso aconteceu ontem, foi o Caio o escolhido e infelizmente não foi uma boa tarde de domingo para ele.

Fora a situação do gol, o nosso ataque não funcionou ontem, martelamos, martelamos e martelamos, mas, chutar para gol efetivamente, foi pouco e às poucas chances que tivemos, erramos ou foi anulado toda a jogada pelo VAR ou árbitro.

Em resumo, perdemos três pontos, caímos na tabela do Brasileirão, temos muitos jogos complicados e difíceis pela frente no Brasileirão e se não mudarem está visão de prioridades, iremos brigar com à turma de baixo da tabela para não cair. Será que ninguém está observando este risco. Porque é fácil ter noção que jogou um bom futebol, mas não temos goleiros e faltou os dispensados Marquinhos e Bergson e os emprestados João Pedro e Matheus Anjos.

E espero que acabem com este rodizio logo, que é bom, mas só em churrascaria, em clube de futebol não funciona direito, o que funciona jogo para pegar entrosamento, confiança e coragem de ser campeão, o resto é tudo desculpa ou falta de competência que não souberam dimensionar o ano magnífico que temos e não souberam fazer à lição de casa, que era agregar bons jogadores e não dispensar o pouco que apareceram no Paranaense.

Acorda Tiago Nunes, pois, futebol às vezes nos reservam surpresas ingratas quando não sabemo lidar com as conquistas que obtivemos no passado. Chega de rodízio é time em campo e fim de papo.



Últimas Notícias

Notícias|Opinião

Até o fim

No dia 10 de maio de 2005, o Athletico sofria uma das piores goleadas da história jogando dentro de seus domínios. Na Arena da Baixada,…