29 maio 2019 - 0h31

Vai ter o troféu?

Minha filha, Juliana, ou apenas Juju, ou ainda, a #minhajuliana, é sócia do Athletico e tem acompanhado a mim e ao meu marido nos últimos jogos na Baixada. Na 1ª partida da Recopa eu fui brindada com estes diálogos que compartilho com vocês. Ah, já adianto que não corrigirei nenhum erro de concordância e a grafia vai como foi falada.

Chegamos muito cedo na Baixada e ficamos na fila aguardando a abertura dos portões. Aquela multidão na Getúlio Vargas e a Juju olhando tudo admirada:

Juju – Mamãe, todo mundo vai no jogo?

Eu – Sim, minha filha. Hoje é final, veio todo mundo torcer para o Athletico!

Juju – Todo mundo que ta aqui é do Athletico???

Eu (orgulhosa!) – Sim, Juju! Toda essa gente é do Athletico igual eu, você e o papai! O vovô João também era do Athletico. A vovó Ana, o Tio Gabri, a Tia Mari, a Gabi, o Elias… são todos do Athletico!

Esse sentimento de pertencimento com o time é algo de muito maravilhoso que o futebol nos proporciona. Bom, logo que passamos a revista, já demonstrando certa naturalidade com o #protocolo da Baixada, me perguntou enquanto subíamos a escadaria:

Juju – Cadê o meu cartão do Athletico?

Eu – Ta aqui na carteira, junto com o meu!

Juju – Eu que quero entregar pro moço.

Eu (entregando o smart dela) – Tudo bem, ta aqui o seu.

 Depois que ela entregou o smart e ela mesmo virou a própria catraca, fomos subindo pra GVSUP, no caminho ela já mandou:

Juju – Mamãe, quero comer um sanduíche esticado (vulgo cachorro-quente)!

Eu – Beleza, mas quem vai comprar é o papai quando ele entrar. A gente vai primeiro guardar o nosso lugar que hoje vai ter muita gente.

Logo que chegamos no nosso lugar, ela fica curiosa com os painéis do mosaico.

Eu – Filha, não pode estragar esse papel. A gente vai fazer um desenho bem lindo quando o Athletico entrar em campo (e ergo o painel mostrando como faremos)!

Juju – Todo mundo vai fazer?

Eu – Todo mundo!

Juju – Todo mundo que é do Athletico?

Eu – Isso, só do Athletico.

Juju (apontando para a torcida do River) – Eles não?

Eu – Não, eles são do outro time. Só quem é do Athletico é que tem o papel.

Juju – (agora apontando para aquele painel da Recopa que fica dentro do campo) Tem um arco-íris no campo?

Eu – É parecido com o arco-íris, para mostrar para todo mundo que hoje o jogo vale troféu!

Juju – O Athletico que vai ganhar o troféu? Igual no outro dia? (refere-se à conquista do Paranaense, que ela estava na Baixada e inclusive chegou a tocar no troféu pois tiramos uma foto com o Bill – e a taça! – lá na beirada do gramado!)

Eu – Se a gente ganhar os jogos o troféu é nosso. Você acha que a gente vai ganhar?

Juju – Acho que vai.

(…)

Juju – O Athletico consegue segurar o xixi?

Eu – Como assim?!

Juju – O Athletico não faz xixi no gramado?

(nessa hora estavam molhando o gramado, sei lá qual associação ela fez!!!!)

Eu – Não, o Athletico segura o xixi e depois que acaba o primeiro tempo, ele vai lá no vestiário e faz xixi, descansa e depois volta jogar mais bola.

Juju – Eu também seguro o xixi!

Eu – Você também, meu amor, você é a minha campeã igual o Athletico!

Na hora do gol do Athletico ela ficou muito admirada com a atmosfera da Baixada:

Eu – Gollllll do Athletico, meu amor! Golllll do Athletico!!!!!

Juju – A gente já é campeão?

Eu – Ainda não, Juju, tem muito jogo ainda.

Juju – Foi o NOSSO jogador que fez o gol?

Aqui uma breve explicação. No jogo contra o Bahia, eu e ela entramos em campo junto com os jogadores em comemoração pelo Dia das Mães. Entramos de mãos dadas com ninguém menos do que Bruno Guimarães! (#quemomento) Desde então ela fica procurando o número 39 em campo e o chama de NOSSO jogador. Tem coisa mais linda?! Eu também já incorporei, para mim, o Bruno Guimarães é o NOSSO jogador! Retomando:

Juju – Foi o NOSSO jogador que fez o gol?

Eu – Não, foi o Marco Ruben.

Juju – Marco Ruben? É o número 3 e o 9?

Eu – Não, é só o número 9. Oh, grita Ruben com todo mundo, oh, todo mundo vai gritar Ruben, presta atenção!

Locutor – Marco…

Eu e Juju – RUBEN!

Lá pelas tantas do segundo tempo, depois de um momento bom da torcida, naquela fração de segundos de silêncio depois que a arquibancada fica enlouquecida, ela soltou de forma tão espontânea que meus olhos lacrimejaram:

Juju – EU TE AMO, Athletico!

Gente. Eu poderia parar por aqui. Mas, o arremate veio ao final da partida:

Juju (percebendo que tinha acabado o jogo) – Agora o Athletico é campeão? Vai ter o troféu?

Eu – Não meu amor, ainda tem mais um jogo.

Juju – Amanhã?

Eu – Não, só na semana que vem.

Juju – É na semana que vem que o Athletico vai ser campeão com o troféu?

Eu – O que que você acha, filha?

Juju – Eu acho que vai.

Faltam menos de dois dias para eu descobrir se a #minhajuliana tinha razão.

 

 

Assuntos: | |


Últimas Notícias

Notícias|Opinião

Até o fim

No dia 10 de maio de 2005, o Athletico sofria uma das piores goleadas da história jogando dentro de seus domínios. Na Arena da Baixada,…