30 maio 2019 - 23h34

Athletico sofre gols nos acréscimos e título da Recopa fica com os argentinos

Na noite de quinta feira (30/05), o Athletico voltou a Buenos Aires para mais uma decisão, desta vez valendo o titulo da CONMEBOL Recopa. Na primeira partida na Arena da Baixada o Furacão venceu a equipe do River Plate por 1 a 0 com gol de Marco Ruben. Com a vantagem do empate os comandados de Tiago Nunes buscaram, diante aos atuais campeões da Libertadores, a segunda conquista continental do clube.

Novamente o Furacão faz um belo jogo, sofreu com a pressão argentina e no fim da partida o sistema defensivo volta a levar gols nos acréscimos da partida e o titulo da CONMEBOL Recopa ficou com a equipe argentina, que venceu por 3 a 0.

Primeiro Tempo

A etapa inicial desta final começou com as equipes se estudando e sem muitas chances, bem postado defensivamente o Athletico começou bem com a posse de bola. O primeiro chute do jogo foi dos pés de Wellington, mas o arremate saiu sem direção ao gol defendido por Armani. Porém o River foi melhorando e o Furacão foi salvo pela trave aos quinze minutos do chute de Borré.

Errando muitos passes entre as linhas o rubro negro foi dando espaço para a equipe argentina crescer na partida. Em jogada pela esquerda, a bola sobrou para Angileri, mas Santos bem posicionado fez firme defesa. Precisando do gol o time de Galhardo chegou novamente com perigo ao gol atleticano com a cabeçada Lucas Pratto, que o goleiro rubro negro defendeu sem maiores dificuldades.

O Athletico só voltou a levar perigo ao River em um contra ataque mas a tentativa de cruzamento de Nikão foi curta e o rubro negro não conseguiu finalizar a jogada. E Los Millonarios continuavam pressionando e buscando abrir o placar, mas Santos em um primeiro tempo bem inspirado no contra pé fez mais uma importante defesa no chute do Pratto.  E o Furacão em mais uma saída rápida com Lucho, mas Rony não alcançou o lançamento do camisa 3 atleticano.

A melhor oportunidade para abrir o placar do Furacão foi dos pés do capitão Lucho. Boa jogada de Rony que encontrou o meia dentro da área, mas foi a vez do goleiro Armani aparecer na partida. No último terço deste primeiro tempo o Furacão encontrou seu jogo, melhorando os passes e dominando as ações ofensivas e se defendendo muito bem, garantindo o placar fechado na etapa inicial.

Segundo Tempo

Para o segundo tempo Tiago Nunes não fez alterações no intervalo e o Furacão começou os 45 minutos finais sofrendo com a pressão da equipe argentina. Até os quinze minutos da etapa final o Athletico sofreu muita dificuldade na partida. E aos quinze minutos um chute a queima roupa dentro da área explodiu na defesa rubro negra e o árbitro chileno conferiu o lance no VAR, marcando a penalidade à favor da equipe argentina.

Na cobrança de Nacho Fernandez, Santos buscou a defesa mas o rebote sobrou para o camisa 10 do River, que abriu o placar no Monumental aos vinte minutos do segundo tempo. O Furacão sentiu o gol e não conseguiu criar ações em busca do empate e seguiu sendo pressionado pelo River.

O Athletico só foi arriscar um chute aos 39 minutos, Renan Lodi recebeu na entrada da área e arriscou o chute e Armani espalmou concedendo escanteio. Na cobrança a bola sobrou para Marcelo, que entrou no lugar de Nikão, mas o camisa 10 atleticano chutou mascado, desperdiçando mais uma chance de conclusão.

Quando o jogo já se encaminhava para a prorrogação, aos quarenta e cinco minutos, em  uma saída pela esquerda da equipe argentina encontra Lucas Pratto dentro da área que não desperdiça ampliando a vantagem da equipe argentina. O Furacão até tentou buscar diminuir a diferença mas abriu espaço e em novo contra ataque a bola sobra para Matías Súares que driblou Santos, dando número final a partida.

Próximo Jogo

Agora o Furacão volta sua atenção para o Brasileirão e no domingo (02/06) receberá o Fluminense às 16h na Arena da Baixada.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…