31 maio 2019 - 12h43

Athletico: orgulho e gratidão!

Seria hipocrisia te dizer que não doeu. Perder sempre foi muito, muito dolorido. E a ferida aumenta gradativamente diante das nossas próprias expectativas.

Lógico que o coração está machucado, rasgado, triste. Eu e mais milhões de atleticanos gostaríamos de hoje, acordar campeões. E tudo, tudo isso vai passar. Com o tempo, e com pouco tempo, tudo vai passar.

Por isso e por tantos outros motivos, chorei em silêncio, assim que a Recopa terminou. A minha história de atleticano não termina aqui, e talvez, muito provável, esteja apenas começando, agora em novo patamar, onde jamais eu imaginaria estar.

E o meu choro em silêncio, aos poucos foi se misturando com uma vontade enorme de carregar o meu time no colo, abraçar cada um dos grandes jogadores e dizer: vamos, vem comigo, vamos voltar pra casa. E juntos, alçaríamos outro voo, certos de que estamos voando muito alto. Vou te encontrar, muito em breve, na Baixada mais linda do mundo, olhar nos teus olhos, e te fazer, outra vez, sorrir.

E quando você esmorecer, estarei ao teu lado, para te proteger, te conduzir e, acima de tudo, te apoiar. Uma vida não se faz de alegrias e conquistas sempre. Uma vida se constrói, vestida de sonhos e fantasias. E durante a trajetória, a gente cai, a gente sofre, a gente levanta e a gente continua, e a gente se apaixona, cada vez mais.

A gente perde. A gente ganha.

E curiosamente, hoje eu acordei, e mesmo que não tenha encontrado a minha faixa de campeão da Recopa, encontrei a alegria e o privilégio em ser atleticano. Não, não. Não é pra qualquer um. Não vejo a hora de voltar pra casa, subir correndo as escadas da minha casa, abrir loucamente o meu armário e vestir a camisa do meu Furacão. E com tamanha felicidade e desta vez gritando em silêncio, vou te beijar, te abraçar e cuidar de você, como sempre foi.

Vamos em frente, somos grandes, e não tem mais volta.

De cabeça erguida, peito estufado, olhos marejados, sou tomado de sentimentos que me fazem seguir em frente, te amando cada vez mais.

Athletico, hoje o meu sentimento é de orgulho. E gratidão.

“Hoje preciso de você…
Com qualquer humor, com qualquer sorriso…
Hoje, só tua presença…
Vai me deixar feliz….
Só hoje….”

Assuntos:


Últimas Notícias

Notícias|Opinião

Até o fim

No dia 10 de maio de 2005, o Athletico sofria uma das piores goleadas da história jogando dentro de seus domínios. Na Arena da Baixada,…