31 maio 2019 - 14h21

Levanta, sacode a poeira!

Após a derrota de 3×0 para o River Plate na noite de quinta-feira (31/05), no jogo de volta da Conmebol Recopa, o que ecoa no Athletico é a palavra “aprendizado”. Assim disse Tiago Nunes, em coletiva, mostrando orgulho da equipe rubro-negra:

Feliz no sentido de que o grupo lutou. Mesmo um sentimento de derrota, temos que ter orgulho do que construímos. Fizemos dois grandes jogos, contra uma grande equipe. Serve de aprendizado para um clube que está se tornando ainda maior, como é o Athletico. Um adversário que honra a camisa que veste e não é à toa que tem tantos títulos – disse em coletiva à imprensa.

O elenco parece ter o mesmo discurso, considerando que Jonathan deu declaração similar:

Nossa equipe tem que levantar a cabeça. Não chegamos nessa final por acaso. O Athletico já mudou de patamar pelos jogos que vem fazendo, pelo título da Sul-Americana. Acho que a gente está no caminho certo. Temos dois jogos contra o Boca Juniors, pela Libertadores, e tenho certeza de que essa derrota vai fazer com que a gente tenha aprendido alguma coisa para levar para esses dois jogos.

Considerando que o próprio treinador atleticano já usou outros resultados adversos como “lição”, é preciso que o clube pare de tirar lições (nas palavras do jornalista Fernando Freire), e comece a mostrar que as aprendeu.

Para isso, os quatro jogos que antecedem a parada para a Copa América são de extrema importância.

  • Athletico Paranaense × Fluminense (2 de junho de 2019 – 16:00)

O primeiro desafio é fundamental para “curar a ressaca” da derrota na Recopa, e mostrar que a equipe, reconhecidamente forte quando joga em seus domínios, não se abalou e já “virou a chave”.

O calendário brasileiro não dá brechas para lamentar, e nada como uma vitória atleticana em frente a sua torcida para reviver os ânimos e trazer confiança para a equipe.

Pensando na tabela do Brasileirão, os três pontos também são essenciais nessa partida, considerando que a equipe vem de duas derrotas consecutivas e o adversário, Fluminense, está apenas um ponto atrás do Athletico (as equipes possuem 6 e 7 pontos do Campeonato, respectivamente).

  • Athletico × Fortaleza (5 de junho de 2019 – 19:15)

Quando se diz que o apertado calendário brasileiro não dá brechas, não é a toa. Menos de uma semana após uma decisão continental, o Furacão encara o jogo de volta pelas oitavas de final da Copa do Brasil, competição tida como relevantíssima no planejamento atleticano, em especial pelas boas premiações em cada fase superada.

A competição, ainda, é conhecida como o caminho mais curto para a Libertadores da América, embora não necessariamente o mais fácil. A experiência da Sul-Americana do ano passado, porém, pode servir de motivação para que o Athletico almeje mais um título de mata-mata, e mais um passo no objetivo de se firmar entre os grandes do país.

O adversário é, de igual forma, uma sensação no cenário nacional, recentemente campeã da Copa do Nordeste e apresentando um futebol interessante com o treinador Rogério Ceni, apesar do baixo investimento da equipe recém promovida da segunda divisão (como campeã da Série B).

O resultado de ida, 0x0, foi vantajoso, considerando que pelo Campeonato Brasileiro o Athletico foi derrotado em Fortaleza. Mais do que nunca será necessário fazer valer a força de jogar em casa e avançar na Copa nacional.

  • Palmeiras × Athletico Paranaense (8 de junho de 2019 – 19:00)

Sem dúvida, é a partida mais difícil até a parada para a Copa América. Hoje, o Palmeiras é líder do Campeonato Brasileiro com 13 pontos, estando invicto com quatro vitórias e um empate (a pontuação da vitória sobre o Botafogo está “suspensa” pelo STJD).

Vencer o elenco reconhecidamente mais forte do país fora de casa, e não perde pelo Campeonato Brasileiro há 28 jogos não é tarefa fácil, mas seria de grande valia para uma equipe que luta contra o rótulo de não conseguir vencer longe de seus domínios.

  • Goiás × Athletico Paranaense (13 de junho de 2019 – 20:00)

A última partida do Furacão antes da pausa de jogos por conta da seleção não pode ser subestimada. Além da mencionada dificuldade do Athletico em vencer jogos como visitante, o Goiás, hoje, está 2 pontos a frente do rubro-negro, e vencer partidas como essas, além de poder ser, até lá, um confronto direto, seria mostrar força em bsuca dos objetivos traçados para 2019.

São quatro jogos, e a equipe de Thiago Nunes, há tempos, trabalha jogo a jogo. Porém, o Athletico não esconde ter boas pretensões na temporada. As próximas partidas, assim, dirão muito sobre o futuro da equipe. Mais do que nunca, é importante que a equipe se reerga, deixando de lado a frustração da Recopa para pensar pra frente.

Contando com dois jogos em casa nessa próxima sequencia, o apoio da torcida à essa boa equipe, que já rendeu tantas alegrias ao torcedor, será fundamental.

Assuntos: |


Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Temos que repensar

Como sempre gosto de acompanhar às notícias sobre o CAP, e li que o uruguaio recém contratado, não será aproveitado neste ano no CAP. Então…

Notícias

Em busca dos pontos perdidos

A tabela do Campeonato Brasileiro e o sorteio das chaves tanto da Copa Brasil como da Taça Libertadores da América acabaram criando um cenário curioso…