24 ago 2019 - 22h43

Zaga rubro-negra falha e Athletico é derrotado pelo tricolor gaúcho em Porto Alegre

Em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, Furacão peca na parte defensiva e é superado pelo Grêmio.

O Furacão não contou com o lateral-direito Madson e o meia-atacante Thonny Anderson (ambos pertencem ao Grêmio e não puderam jogar devido contrato). Jonathan, poupado dos últimos dois jogos, continuou fora. Na outra lateral, Adriano foi preservado. Nikão sequer viajou para Porto Alegre. Marco Ruben não treinou por dores no tornozelo e nem embarcou com a delegação. Thiago Heleno e Camacho aguardam julgamento pelo doping.

Confira como foi o jogo:

1º Tempo

Logo aos 3 minutos, Thaciano aproveitou bobeira da zaga rubro-negra e deixou Luan na cara do gol, que só teve o trabalho de deslocar o goleiro Santos e abrir o marcador.

Aos 15, Márcio Azevedo fez boa jogada, cruzou, mas a zaga tirou para escanteio.

O Athletico chegou com perigo aos 20 minutos. A defesa gremista afastou mal a bola e Rony pegou o rebote, mas Galhardo tirou para escaniteo.

Aos 30, a zaga do Grêmio afastou de cabeça e Rony emendou uma chutaço no rebote. A bola passou próxima ao gol.

Marcelo Cirino fez boa assistência para Vitinho, que chutou fraco e o goleiro salvou o tricolor, aos 36 minutos.

Instantes após, o Athletico aproveitou erro de Galhardo, saiu no contra-ataque e Márcio Azevedo recebeu livre na esquerda. O lateral disparou uma bomba em cima do goleiro Júlio César, que salvou o time gaúcho novamente.

Aos 44, Luan perdeu a bola no meio de campo e a zaga do Grêmio ficou exposta. Léo Citaddini encontrou Rony livre na área, mas o atacante finalizou muito mal, pela linha de fundo.

Na última chance da primeira etapa, Luciano acelerou contra-ataque gremista, deixou Thaciano livre na direita, que finalizou forte. O arqueiro rubro-negro fez uma defesa espetacular e mandou para escanteio.

2º Tempo

Se o primeiro tempo começou bom para o Grêmio, o início da segunda etapa foi boa para o Furacão. Marcelo Cirino ganhou na velocidade de Paulo Miranda, cruzou para trás e Rony, de voleio, meteu pro fundo das redes. Golaço e empate do Athletico, aos 2 minutos.

Mas a alegria athleticana durou pouco. 4 minutos depois, Galhardo dominou na direita, alçou bola na área e Thaciano tocou de cabeça para o gol de desempate.

Patrick, que acabara de entrar na partida, recebeu bola na área e sofreu pênalti de Márcio Azevedo, aos 24 minutos. Santos pulou no canto direito e defendeu cobrança cobrada por Tardelli, sem dar rebote.

Aos 37, Tomás fez boa jogada driblando o marcador e cruzando na área. A zaga afastou.

Com 44 minutos de jogo, Luan cruzou pela esquerda para Patrick cabecear e exigir mais uma defesaça de Santos.

Na última chance da partida, Rony invadiu a área, passou como quis pelos zagueiros gremistas e tocou para trás, mas ninguém do Furacão apareceu e Pepê afastou.

Ficha técnica

Campeonato Brasileiro 2019 – 24/08/19 – Grêmio 2 x 1 Athletico

Local: Arena do Grêmio;

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ); Horário: 17h00;

Cartões amarelos: Rômulo (GRE), Luciano (GRE), Juninho Capixaba (GRE), Léo Pereira (CAP);

Cartões vermelhos: não houve;

Gols: Luan (3’ 1T), Rony (2’ 2T), Thaciano (6’ 2T).

Athletico: Santos; Khellven, Lucas Halter, Léo Pereira e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Wellington (Tomás Andrade), Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Vitinho (Braian Romero), Rony e Marcelo; TC: Tiago Nunes.

Grêmio: Julio César; Galhardo, Paulo Miranda, David Braz e Juninho Capixaba; Rômulo, Thaciano, Luciano (Patrick), Luan (Darlan) e Pepê; Diego Tardelli (Michel); TC: Renato Gaúcho.

Próximos confrontos

O Athletico volta a campo no domingo, dia 31 (19h00), em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Ceará, na Arena.

Na quarta-feira, dia 04 (19h00), o Furacão faz o jogo de volta da semi-final da Copa do Brasil contra o Grêmio, em Curitiba.



Últimas Notícias

Opinião

Adeus ano “velho”!

  Lembro-me como se fosse hoje dos sentimentos experimentados no último Réveillon. Onde momentos antes de iniciar a contagem para receber 2019, me peguei agradecendo…

Opinião

De que são feitos os ídolos?

Quando Marco Ruben vestiu a camisa atleticana pela primeira vez, já era um ídolo rubro-negro. Simples assim. E não se trata da famosa gringolatria. Alguns…