10 set 2019 - 10h44

Não há tempo para mais nada: é decisão!

11 de setembro de 2019. Dia do primeiro jogo da final da Copa do Brasil.

Athletico e Internacional duelarão na Arena da Baixada pelos primeiros 90 minutos da decisão.

Em um período de menos de um ano estamos em nossa quarta final significativa. Vencemos  duas. Poderemos vencer mais essa?

A resposta a meu ver é categórica: SIM. Temos todas as condições de vencer o excelente time do Internacional.

Se não vejamos: Neste ano vencemos os quatro atuais semifinalistas da Libertadores da América. Todos com elencos badalados, tradicionais. Assim como o Internacional.

Jogamos contra todos os grandes, vencemos muitos, aprendemos nas derrotas. Incomodamos muita gente grande.

Mais do que o resultado em si, esse grupo merece esse título. Mais do que isso, esse grupo merece nosso total e incondicional apoio. Será uma batalha. Precisamos estar preparados para assimilar erros, apoiar a cada instante. Não é o momento de crítica, não é o momento de vaia. Esse grupo não merece qualquer vaia.

Amanhã é dia de deixar diferenças de lado, guardar a corneta no armário, vestir o manto rubro-negro que só se veste por amor. E por amor estaremos lá. Quarenta mil no estádio, outros milhões acompanhando pela TV, pelo rádio, internet. Mas todos os atleticanos terão seus olhos, ouvidos e corações voltados para esse jogo.

Serão os primeiros 90 minutos da decisão. Nos acostumamos a decisões. O sarrafo subiu. A expectativa aumentou. Entramos em todos os torneios para ganhar. Não somos mais figurantes. O protagonismo chegou. Entramos para vencer. E vencemos. E venceremos.

Aqueles mesmos comentaristas que cravavam o Grenal da final já não parecem tão confiantes. O menino travesso da Baixada já lhes causou bastante constrangimento e dores de cabeça.

Agora, no mínimo, somos respeitados. Buscam entender o que move esse grupo, o que move essa torcida. Não temos o elenco milionário do Flamengo, do Palmeiras, do Inter. Aqui não temos as estrelas midiáticas dos grandes centros.

Aqui temos jogadores. Aqui temos homens que representam uma nação de torcedores apaixonados. Temos Bruno Guimarães, Léo, Khellven, Madson, Léo Pereira, Lucas Halter, Bambu, Márcio Azevedo, Abner, Rossetto, Braian, Wellington, Cittadini, Vitinho, Marcelo. Temos Nikão. Temos Marco Ruben e temos Rony, para desespero dos zagueiros. Temos Lucho, que é do tamanho do mundo inteiro por suas conquistas. Temos outros tantos. E temos Santos, e com todos os nossos santos estaremos na Arena, empurrando esse time do começo ao fim. Temos Tiago Nunes, que nos ensinou que quando jogamos aqui, o campo é nosso, a bola é nossa e o outro time só vai correr atrás. Nada mais nos assusta. Crescemos e estamos aprendendo a ser grandes.

Somos Time de Guerra.

Não somos a maior torcida em quantidade. Somos a melhor em qualidade. Nada é impossível para um Athletico unido.

O Inter vem com tudo também, e como gigante que é deve e será respeitado. O campeão de tudo será respeitado, jamais temido.

Mesmo antes do apito soar seremos milhões de corações rubro-negros empurrando esse time para mais uma vitória. Por mais essa taça. Vamos rubro-negro, com garra e com raça.

Mais uma vez seremos nós contra todos. E contra tudo.

É hora de surpreender o mundo mais uma vez.

É chegada a hora de quebrarmos outro muro.

Saiba Mais

Assuntos: |


Últimas Notícias

Fala, Atleticano

2020, como será?

Já estamos garantidos na Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, e qual será os objetivos para 2020? Libertadores é um destes objetivos, um sonho…

Brasileiro

Furacão segue subindo

Neste domingo, o Athletico recebeu o Botafogo na Arena da Baixada e garantiu mais uma vitória no Campeonato Brasileiro. O placar de 1 a 0,…