12 set 2019 - 1h45

Furacão sai na frente na final!

Na primeira partida da final da Copa do Brasil, deu Furacão! A Baixada pulsou e ajudou o Athletico a vencer o Internacional por 1-0 com gol de Bruno Guimarães. O rubro-negro tem uma boa vantagem em busca do título inédito. Jogo da volta no Beira-Rio será na próxima quarta-feira (18/09), às 21h30.

Primeiro Tempo

O Athletico contou com apoio da sua torcida para pressionar a equipe do Internacional desde o primeiro minuto, ao contrário dos colorados que entraram em campo preocupados em apenas se defender.

Porém mesmo com seus 73% de posse de bola durante a primeira etapa, o rubro-negro só ameaçou o Inter em duas oportunidades, com chutes de Rony e Léo Cittadini de fora da área. A equipe colorada se defendeu muito bem e o goleiro Marcelo Lomba pouco trabalhou na etapa inicial, assim como o goleiro Santos.

Segundo Tempo

Na etapa final, foi possível perceber a equipe do Internacional tentar pressionar o Athletico na saída de bola com uma marcação alta e sair mais para o jogo, diferente do primeiro tempo.

Aos 10 minutos, o treinador Tiago Nunes resolveu fazer sua primeira alteração, Thonny Anderson no lugar de Léo Cittadini, buscando mais ofensividade na sua equipe. A resposta foi imediata, em jogada que começou com Bruno Guimarães e Thonny puxando o contra-ataque, passou pelos pés de Nikão e terminou com um passe de Marco Ruben, em que a bola saiu desviando nos zagueiros, mas caiu perfeitamente nos pés de Bruno para ele mandar para o ângulo e abrir o placar.

A festa tomou conta da Arena após o gol, mas a equipe atleticana foi esfriando aos poucos e viu o Internacional crescer na partida. Quando aos 27 minutos, Rony fez uma linda jogada individual, fazendo fila na defesa colorada, tradicional da sua característica de atacante veloz e driblador, mas seu chute parou num milagre de Marcelo Lomba. Foi a jogada mais clara de gol da partida e que deve tirar o sono do torcedor atleticano nesses próximos dias.

Porém o Internacional também conseguiu levar perigo para a defesa atleticana. Wellington evitou um chute de Rodrigo Lindoso perto da pequena área e contou com ajuda de Santos segurando a bola no alto. No fim, Léo Pereira cortou um cruzamento perigoso de Nonato e Rafael Sóbis teve um chute forte para fora.

Nesses minutos finais o que se viu na Baixada foi a equipe atleticana aceitar que o 1-0 era uma boa vantagem e segurar o placar, a substituição de Rony (pendurado para o jogo da volta) por Lucho González mostrou a cautela da equipe. Bruno Guimarães também era outro pendurado, mas conseguiu terminar a partida sem tomar cartão.

Em alguns momentos do final da partida, pôde ser visto a torcida pedindo para o time ir para cima, enquanto o técnico Tiago Nunes pedia calma. Assim foi a vitória do Furacão, mesmo que mínima, uma vantagem é sempre uma vantagem.

Público

A Arena da Baixada teve todos seus ingressos esgotados na noite dessa quarta-feira, mas não foi suficiente para quebrar o recorde de público da final da Copa Sul-Americana. O público total foi de 39.772 torcedores e a vitória rubro-negra teve a maior renda da história do clube, R$2.685.790,00.

Próximas partidas

O Furacão volta a campo no próximo domingo contra o lanterna Avaí, as 11h na Arena da Baixada. Provavelmente o treinador Tiago Nunes usará uma equipe alternativa com foco total para o jogo da volta da final. O sonho continua vivo!



Últimas Notícias

Notícias

De novo a dupla Fla x Flu

Há jogos que mesmo não sendo decisivos acabam sendo marcantes. Lógico que uma final, uma partida que valha vaga para uma fase aguda de uma…

Notícias

Adeus, professor Vadão

Hoje (25) à tarde faleceu Oswaldo Alvarez, o Vadão, que estava internado tratando um câncer no fígado. A notícia vem logo após um domingo nostálgico…

Memória

2002 COM MUITA PAZ

Na tarde do dia 23 de Dezembro de 2001, o Furacão conquistava o seu primeiro título nacional! A partida final, em São Caetano do Sul,…