15 set 2019 - 11h32

Confusão no acesso irrita torcida nesse domingo

O contexto da partida contra o Avai, nesse domingo (15), permitia prever baixo público: já conhecido alto preço do ingresso na Arena, horário das 11h (aos que odeiam) uso de time reserva, e foco, do clube e da torcida, na finalíssima da Copa do Brasil na próxima quarta (18).

Mesmo assim, houve elementos que amenizariam tudo isso: o próprio horário (aos que amam), empolgação em apoiar o time para a decisão da Copa do Brasil, confronto com o lanterna do Brasileirão, e até mesmo promoções do clube, com trocas de ingressos por apostas na Timemania, isenção de entrada para crianças até 12 anos, e até mesmo um sorteio de um carro zero km, promovido pela CBF.

Em resumo, seria possível dizer que nada irritaria o torcedor presente na Arena da Baixada para essa partida, nem mesmo o resultado do jogo, considerando os aplausos ao final do primeiro tempo, mesmo diante de vitória até então parcial do time catarinense.

Mesmo assim, a organização da Arena da Baixada, novamente, deixou a desejar. Sob a justificativa de “fluxo pequeno”, o clube não abriu o portão I, no acesso da Rua Cel. Dulcídio, que é, por exemplo, o único acesso da torcida ao setor Getúlio Vargas superior. O resultado foi um tumulto na entrada dos torcedores que não chegaram com maior antecedência.

Havendo apenas um acesso, era necessário controlar a entrada de torcedores, pausando as revistas até que o portão J ficasse menos cheio. Com isso, as filas antes das revistas se tornavam maiores a cada minuto que se aproximava do início da partida, causando irritação geral.

Percebendo o equívoco, o clube, às 11h10, resolver abrir o portão I, possibilitando melhor fluxo dos torcedores.

Em um bonito domingo de sol, mais uma vez o staff da Arena conseguiu ser destaque negativo, mesmo num dia em que não parecia difícil agradar o torcedor disposto a comparecer na casa atleticana.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…